CartaExpressa

Bolsonarista é condenado a pagar R$ 110 mil por fake news contra Leonardo Boff

Bernardo Küster foi processado após divulgar um vídeo em que afirmava que o teólogo desviou 13 milhões de reais em recursos públicos

Foto: Reprodução
Apoie Siga-nos no

O ativista bolsonarista Bernardo Küster foi condenado pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro a pagar cerca de 110 mil reais ao teólogo Leonardo Boff. A informação é da Folha de S.Paulo.

Küster foi processado após divulgar um vídeo em que afirmava que o teólogo desviou 13 milhões de reais em recursos públicos. No entanto, ele não apresentou nenhuma prova.

A decisão foi referendada em segunda instância após o ativista apresentar recurso junto ao tribunal. Na primeira instância, a justiça  já havia determinado que o ativista pagasse 20 mil ao teólogo por danos morais.

As medidas não foram cumpridas por mais de dez meses, e a multa chegou a 109.991,80 mil reais.

Küster é também investigado Supremo Tribunal Federal no Inquérito das Fake News.

ENTENDA MAIS SOBRE: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.