CartaExpressa,Política

Benny Briolly, primeira vereadora trans de Niterói, deixa o Brasil após ameaças de morte

Benny Briolly, primeira vereadora trans de Niterói, deixa o Brasil após ameaças de morte

Benny Briolly em sua posse como vereadora de Niterói. Foto: Reprodução

Benny Briolly em sua posse como vereadora de Niterói. Foto: Reprodução

A vereadora Benny Briolly – primeira trans eleita para a Câmara Municipal em Niterói (RJ) – teve de sair do Brasil após receber ameaças de morte. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da integrante do PSOL.

Em nota, a equipe de Briolly afirmou que a decisão foi tomada pelo partido, a fim de mantê-la em segurança. O presidente do PSOL em Niterói, Daniel Vieira Nunes, declarou que “a política de ódio não vencerá e o Estado precisa garantir a integridade da vida e da atuação parlamentar de uma vereadora eleita”.

 

 

Para o presidente nacional da legenda, Juliano Medeiros, “as violências que levaram Benny a sair do País para proteger sua vida são as mesmas que colocam o País na vergonhosa posição de ser o que que mais mata pessoas trans no mundo”.

A assessoria de Benny Briolly informa que “já foram comunicadas e oficializadas várias instâncias do Estado brasileiro sobre a grave situação”, mas que, até o momento, “não foram tomadas medidas efetivas que protegessem sua vida e seus direitos políticos”.

Ainda de acordo com a equipe, a vereadora permanecerá 15 dias afastada da Câmara, mas participará virtualmente das sessões plenárias.

 

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem