CartaExpressa

Aziz: O fato mais grave é que Bolsonaro foi alertado e não tomou providência

Aziz: O fato mais grave é que Bolsonaro foi alertado e não tomou providência

'Precisamos punir as pessoas para que não aconteça de novo', reforçou o presidente da CPI da Covid

Foto: Pedro França/Agência Senado

Foto: Pedro França/Agência Senado

O presidente da CPI da Covid, Omar Aziz (PSD-AM), reforçou que o presidente Jair Bolsonaro foi alertado sobre as irregularidades na compra de vacinas e não tomou nenhuma providência.

Em entrevista à CNNBrasil, o senador afirmou ainda que o relatório final dos trabalhos “trará a baila os crimes contra a vida, os crimes sanitários”.

“O fato mais grave é que o presidente foi alertado e ele não tomou nenhuma previdência. Isso não justifica as 540 mil mortes no Brasil”, diz. “Mas precisamos punir as pessoas para que não aconteça de novo”, disse Aziz no domingo 18.

Segundo Aziz, a questão, no momento, não é descobrir somente se o governo é corrupto ou não. “O pior são as vidas que se perderam pelas brincadeiras de gabinetes paralelos”, acrescentou.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem