CartaExpressa

Aziz: ‘Bolsonaro queria que eu prendesse o Wajngarten e acabasse a CPI’

Aziz: ‘Bolsonaro queria que eu prendesse o Wajngarten e acabasse a CPI’

Presidente da CPI disse que Bolsonaro queria usar prisão do ex-chefe da Secom para deslegitimar as investigações: 'Está com raiva'

O senador Omar Aziz (PSD-AM). Foto: Pedro França/Agência Senado

O senador Omar Aziz (PSD-AM). Foto: Pedro França/Agência Senado

O senador Omar Aziz (PSD-AM), presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito que apura omissões na pandemia, criticou o presidente Jair Bolsonaro após declaração sobre a Zona Franca de Manaus. Bolsonaro havia dito, durante transmissão ao vivo na quinta-feira 20: “Imagine Manaus sem a Zona Franca, hein, senador Aziz, você que fala tanto na CPI, senador Eduardo Braga, imagine aí o Estado, ou Manaus, sem a Zona Franca”.

 

 

 

Em conversa com advogados do coletivo Prerrogativas, neste sábado 22, Omar Aziz, que já governou o estado do Amazonas, afirmou que a questão da Zona Franca de Manaus é “três dedos mais embaixo”. A Zona Franca é um pólo industrial estabelecido em 1967, com grande importância econômica para a região.

Para Aziz, a ameaça de Bolsonaro está relacionada a insatisfação sobre as investigações na CPI. O senador diz acreditar que o presidente queria que o ex-chefe da Secretaria de Comunicação, Fabio Wajngarten, fosse preso em seu depoimento, para que os trabalhos de apuração perdessem o crédito.

“Eu sei por que a raiva dele. Porque ele queria que eu prendesse o Wajngarten e acabasse a CPI naquele dia. Mas eu não caí naquela piadinha não, então eu sei que ele está com raiva por causa disso. Aquilo seria um momento épico dele: Olha aí, estão querendo fazer política, um bando de bandido prendendo um homem honesto”, disse Aziz. O senador disse ainda que “a Zona Franca é constitucional” e que “outros já tentaram acabar com a Zona Franca e não conseguiram”.

Na próxima quarta-feira 26, há expectativa para a votação de requerimentos para novas convocações à CPI. Entre eles, está um pedido de convocação do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente.

“O que for aprovado na quarta-feira será pautado. Antecipar quem vai ser ou não seria muita coisa, mas tem sim um pedido para ouvir o vereador Carlos Bolsonaro”, disse.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem