CartaExpressa

‘Autonomia do médico não dá direito de prescrever remédio ineficaz’

Opinião é do presidente da Associação Médica Brasileira, César Eduardo Fernandes, sobre o uso do kit-Covid

Hidroxicloroquina. Foto: AFP. hidroxicloroquina. Foto: AFP.
Hidroxicloroquina. Foto: AFP. hidroxicloroquina. Foto: AFP.

O presidente da Associação Médica Brasileira, César Eduardo Fernandes, afirmou nesta quinta-feira 25 que a autonomia do médico não lhe dá o direito de prescrever remédios ineficazes contra a Covid-19.

“O princípio que eu acho válido, que merece todo o nosso respeito, é dar autonomia de decisão ao médico. Mas essa autonomia não lhe dá, a meu juízo, o direito de fazer uso de medicações que não tenham eficácia”, disse Fernandes em entrevista ao G1.

Para ele, se pacientes receberem uma receita com os medicamentos do “kit-Covid”, devem considerar procurar uma segunda opinião.

“A meu juízo, se ele está sendo acompanhado por esse médico e recebeu essa orientação, eu creio que valeria ele ouvir uma outra opinião. Não me sinto nem confortável para dizer ‘não siga a orientação do médico que lhe deu’. A minha opinião é que ele não deve tomar essas medicações, mas eu não quero ser leviano”, apontou.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!