CartaExpressa

Até a lua de mel Bolsonaro pagou com verba da Câmara, revela livro

Obra ‘Nas Asas da Mamata’ mostra que o hoje presidente usou verba da sua cota parlamentar para pagar viagens da esposa e dos filhos

O presidente da República, Jair Bolsonaro e a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, participam da cerimônia de assinatura do decreto que institui a Política Nacional de Educação Especial. Foto: Carolina Antunes/PR O presidente da República, Jair Bolsonaro e a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, participam da cerimônia de assinatura do decreto que institui a Política Nacional de Educação Especial. Foto: Carolina Antunes/PR
O presidente da República, Jair Bolsonaro e a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, participam da cerimônia de assinatura do decreto que institui a Política Nacional de Educação Especial. Foto: Carolina Antunes/PR O presidente da República, Jair Bolsonaro e a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, participam da cerimônia de assinatura do decreto que institui a Política Nacional de Educação Especial. Foto: Carolina Antunes/PR

O presidente Jair Bolsonaro, ainda quando era deputado federal, pagou uma viagem que fez com a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, com verba da cota parlamentar. A informação, que consta no livro Nas Asas da Mamata, foi revelada nesta sexta-feira pela jornalista Juliana Dal Piva, do UOL.

De acordo com o site, em 2007, o casal foi comemorar o a união estável em Foz do Iguaçu (PR) em um voo da Gol, com escala em Curitiba, capital do Paraná.

Os bilhetes custaram 1.729,24 reais e o hoje presidente justificou à Câmara dos Deputados, para evitar corte de salário, que o motivo da ausência por sete dias foram suas “núpcias”.

O livro, escrito por Eduardo Militão, Eumano Silva, Lúcio Lambranho e Edson Sardinha, revela ainda que Michelle fez uso de passagens compradas com a cota parlamentar de Bolsonaro.

Segundo os autores, as companhias TAM, Varig e Gol forneceram ao Judiciário registros de, pelo menos, 17 viagens de Michele pagas pela Câmara entre agosto de 2007 e fevereiro de 2009.

O então deputado também usou verba de sua cota para pagar viagens de Flávio, Carlos, Eduardo e Jair Renan.

A obra aponta que, entre 2007 e 2008, os três filhos mais velhos fizeram cinco viagens entre Rio, São Paulo e Brasília com passagens da cota da Câmara. Nessa época, Carlos já era vereador no Rio de Janeiro e Flávio, deputado estadual na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio).

Os autores ainda revelam viagens de Flávio a Florianópolis e Porto Alegre, além de outro passeio dele com o irmão Carlos para Fortaleza, no Ceará. Em todos os casos, as passagens foram pagas com dinheiro da cota de Bolsonaro na Câmara.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!