CartaExpressa

Argentinos vão às ruas contra Bolsonaro: ‘Perigo mundial’

Argentinos vão às ruas contra Bolsonaro: ‘Perigo mundial’

Presidente Jair Bolsonaro é alvo de protesto na Argentina. Foto: Reprodução

Presidente Jair Bolsonaro é alvo de protesto na Argentina. Foto: Reprodução

Dezenas de argentinos realizaram um protesto contra o presidente Jair Bolsonaro, na tarde da quarta-feira 14, em frente à embaixada do Brasil em Buenos Aires. Os manifestantes ergueram faixas com a foto do mandatário brasileiro e dizeres como “Fora Bolsonaro”, “A cepa Bolsonaro”, “perigo mundial” e “todo apoio ao povo brasileiro”.

As imagens foram captadas pela agência Reuters e reportadas pelo jornal português Correio da Manhã. O protesto foi convocado pela página virtual do Movimento Socialista dos Trabalhadores. “Bolsonaro, a pior cepa da América Latina”, diz o cartaz, que chama a política sanitária do presidente do Brasil de “criminosa”.

Segundo o site Periodismo de Izquierda, ligado à organização, estiveram presentes os líderes Alejandro Bodart e Cele Fierro, que acusaram Bolsonaro de ser “o cúmulo da brutalidade” e criticaram o negacionismo.

“Detrás do discurso antiquarentena, há interesses econômicos de setores que expõem os trabalhadores ao risco de adoecer e morrer”, disse Bodart, que pediu que os brasileiros críticos a Bolsonaro “deixem de dormir” e tomem medidas contra a política estabelecida.

A pandemia brasileira deixou de ser um problema só do Brasil, devido ao descontrole do número de mortes e de casos e ao surgimento de mutações do vírus. Foi o que disse Tedros Ghebreyesus Adhanom, da Organização Mundial da Saúde, em março: “Se o Brasil não estiver tratanto desse problema seriamente, isso continuará afetando toda a vizinhança, e além. Então, não é só sobre o Brasil”, afirmou o diretor da entidade.

Com mais de 360 mil óbitos notificados, o País apresenta uma média móvel de 3 mil mortes por dia.

 

Manifestantes contra Bolsonaro se concentraram em frente à embaixada brasileira de Buenos Aires. Foto: Reprodução

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem