CartaExpressa,Saúde

Araraquara, que realizou lockdown, vê queda em mortes por Covid

Araraquara, que realizou lockdown, vê queda em mortes por Covid

Mês de abril teve 62% menos mortes do que o registrado em março. Prefeitura também realiza testagem ativa em escolas e estabelecimentos

(Foto: Prefeitura de Araraquara/Divulgação)

(Foto: Prefeitura de Araraquara/Divulgação)

A cidade de Araraquara, no interior paulista, teve uma redução de 62% nas mortes por Covid-19 em abril, quando comparado a março. De acordo com dados da Prefeitura, no mês passado o município registrou 129 óbitos provocados pela doença. Já agora foram 49 até esta sexta-feira 30.

Nos últimos 30 dias, a cidade realizou um rigoroso lockdown para conter a alta dos casos e o esgotamento da capacidade dos hospitais. Em relação ao número de novos casos, houve queda de 40,3%.

A gestão municipal também passou a realizar uma política de testagem ativa em “residências, estabelecimentos comerciais e sociais, nas unidades de educação do município e nas barreiras sanitárias”.

 

 

O presidente Jair Bolsonaro chegou a criticar, na quinta-feira 29, a política adotada pelo prefeito Edinho Silva (PT). “Neste momento, comboio parte da Ceagesp rumo a Araraquara/SP, levando alimentos para aqueles vitimados pela política do ‘fique em casa que a economia a gente vê depois”, escreveu nas redes.

Edinho Silva, por sua vez, afirmou em vídeo também publicado nas redes sociais que o presidente “humilhava” as pessoas que passavam fome por submetê-las a grandes filas por alimentos.

Atualmente, a cidade possui ocupação de 66% na enfermaria e de 86% na UTI Covid. Do total de 190 internados, 91 são moradores de Araraquara e 99 são de outros municípios, mas foram transferidos para os hospitais da cidade.

 

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem