CartaExpressa

Após repetir Bolsonaro, Queiroga diz que vida e liberdade ‘são indissociáveis’

‘O Estado brasileiro consagrou a dignidade da pessoa humana como o princípio básico da nossa democracia’, afirmou o ministro

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

Menos de 24 horas depois de parafrasear o presidente Jair Bolsonaro – “é melhor perder a vida que a liberdade” -, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, declarou nesta quarta-feira 8 que os dois conceitos “são indissociáveis”.

A menção ao mantra de Bolsonaro ocorreu, na terça-feira 7, durante cerimônia em que o governo oficializou a rejeição ao passaporte da vacina, medida recomendada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária em meio à preocupação com a variante Ômicron do coronavírus.

“O Estado brasileiro consagrou a dignidade da pessoa humana como o princípio básico da nossa democracia. Então, o direito à vida e o direito à liberdade são indissociáveis. A defesa da vida desde a sua concepção à liberdade. Isso é viver sem limites”, disse Queiroga nesta quarta, em evento do SUS.

O ministro também afirmou que o Brasil está conseguindo “vencer esse inimigo invisível e imprevisível, que é o novo coronavírus”, e repetiu que a nova cepa não deve provocar “desespero”.

“Todos os dias podem aparecer variantes que causam preocupação, mas não causam desespero. Pelo menos para mim, ministro da Saúde, porque eu tenho nas minhas mãos o controle do Sistema Único de Saúde e a confiança do presidente da República para que possamos transformar em políticas públicas todos os recursos que chegam a essa casa.”

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.