CartaExpressa

Após negativa do Ministério da Justiça, CPMI faz novo pedido de imagens do 8 de Janeiro; STF pode ser acionado

Pasta comandada por Flávio Dino tem prazo de 48 horas para liberar as imagens das câmeras de segurança ou parlamentares irão acionar a Suprema Corte

Primeira reunião da CPMI do 8 de Janeiro no Senado Federal. Foto: Pedro França/Agência Senado
Apoie Siga-nos no

A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito que investiga os atos golpistas do 8 de Janeiro enviará novo ofício ao Ministério da Justiça reiterando o pedido de acesso às imagens do circuito interno de segurança da pasta no dia das invasões às sedes dos Três Poderes. 

Segundo decisão do presidente do colegiado, Arthur Maia (União), o ministro Flávio Dino deverá remeter as gravações no prazo de 48 horas. Caso não seja respondido o ofício, o parlamentar informa que o Supremo Tribunal Federal poderá ser acionado para determinar o compartilhamento. 

Em um primeiro ofício pedindo as gravações, Dino negou o envio e alegou que as imagens fazem parte de um inquérito sobre os fatos, que tramita em segredo de Justiça. 

“Esta decisão administrativa visa preservar a autoridade do Poder Judiciário no que se refere ao compartilhamento de provas constantes de Inquéritos com eventuais diligências em curso”, disse o Ministério.

Como alternativa para a obtenção das imagens, Dino sugeriu que a Comissão pedisse as gravações o diretor da Polícia Federal, que comanda o inquérito.

Senadores e deputados, durante a deliberação da nova solicitação, destacaram por diversas vezes que a CPMI tem ‘poder de polícia’ e poderia determinar buscas no Ministério da Justiça. As declarações foram recados claros a Dino e partiram, inclusive, de governistas, como o senador Omar Aziz (PSD).

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.