CartaExpressa,Política

Após Jefferson alegar problemas de saúde, Moraes manda PGR se manifestar sobre prisão domiciliar

Após Jefferson alegar problemas de saúde, Moraes manda PGR se manifestar sobre prisão domiciliar

O presidente do PTB, Roberto Jefferson. Foto: Reprodução/Redes Sociais

O presidente do PTB, Roberto Jefferson. Foto: Reprodução/Redes Sociais

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, determinou nesta quinta-feira 19 que a Procuradoria-Geral da República se manifeste sobre um pedido para que o presidente do PTB, Roberto Jefferson, cumpra prisão domiciliar.

 

 

Jefferson cumpre prisão preventiva no Complexo de Bangu, na cidade do Rio de Janeiro, desde a última sexta-feira. O bolsonarista, que publicou na internet diversas ameaças às instituições e a ministros do STF, foi detido após Moraes atender a um pedido da Polícia Federal.

A defesa do ex-deputado alega que o quadro de saúde dele inspira cuidados, com infecção aguda no fígado e nos rins.

A prisão de Roberto Jefferson se deu no âmbito do inquérito que apura a organização e a atuação de uma milícia digital que atenta contra o Estado Democrático de Direito.

A conduta do presidente do PTB pode ser enquadrada em pelo menos 13 crimes, conforme o despacho de Moraes: calúnia, difamação, injúria, incitação ao crime, apologia ao crime ou criminoso, associação criminosa, denunciação caluniosa, racismo e organização criminosa, além de três crimes previstos na Lei de Segurança Nacional e um no Código Eleitoral.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem