CartaExpressa,Política

Após Gleisi, Boulos também tem cadastro no SUS invadido e alterado

Após Gleisi, Boulos também tem cadastro no SUS invadido e alterado

 Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

O coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, sofreu um ataque em seu registro no Sistema Único de Saúde (SUS). Além de ter seus dados pessoais alterados, foram registradas informações com ataque à sua família.

O nome de seu pai, por exemplo, o infectologista Marcos Boulos, integrante do comitê de contingenciamento do coronavírus no estado, foi trocado para “Kid Bengala”. Também foi deletada a informação de que Guilherme Boulos já se vacinou com a primeira da vacina contra a Covid-19.

“Não é um caso isolado. É um absurdo que tenha ocorrido alteração de dados de cadastro do SUS de lideranças de oposição. O que leva à dúvida se isso é um hackeamento independente ou se são bolsonaristas que tomaram a máquina pública de assalto”, declarou Boulos à coluna do jornalista Leonardo Sakamoto, no UOL.

Recentemente, a presidente do PT Gleisi Hoffmann também enfrentou dificuldades para concluir seu processo de vacinação contra a Covid-19 após ter modificadas suas informações junto ao SUS e ter seu cadastro baixado por motivos de óbito. Ela comentou o caso em suas redes sociais no dia 15 de julho, após resolver o problema.

 

 

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem