CartaExpressa

Após eleições, Tatto pede diálogo com Ciro e setores do MDB em 2022

Após eleições, Tatto pede diálogo com Ciro e setores do MDB em 2022

Jilmar Tatto. Foto: Facebook/Jilmar Tatto

Jilmar Tatto. Foto: Facebook/Jilmar Tatto

O fim da campanha eleitoral de 2020 trouxe à tona a vitória dos partidos do Centrão, a derrota do PT nas prefeituras – incluindo as capitais – e o êxito de algumas frentes amplas construídas entre partidos distintos, como foi o caso da Frente Popular do Recife (PE), que elegeu João Campos (PSB).

O cenário alimenta debates sobre o impacto desses resultados na corrida presidencial de 2022. Para Jilmar Tatto, candidato à Prefeitura de São Paulo pelo PT, será necessário abrir um “um diálogo franco com Ciro, com PSB, PSOL, PCdoB e setores do MDB para discutirmos um candidato para 2022 de uma forma muito transparente e aberta”.

 

Tatto teve com 8,55% dos votos no 1º turno. A decisão de manter sua candidatura de provocou reação de setores diversos da esquerda, que defendiam que o PT abrisse mão da disputa em favor de Guilherme Boulos, do PSOL, que disputou com Bruno Covas (PSDB) o segundo turno na capital paulista.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem