CartaExpressa

Após denúncias de assédio, presidente da CBF é afastado por 30 dias

Após denúncias de assédio, presidente da CBF é afastado por 30 dias

Créditos: Divulgação

Créditos: Divulgação

O presidente da CBF, Rogério Caboclo, foi afastado do cargo por 30 dias após denúncias de uma funcionária que o acusa de cometer assédio moral e sexual. A decisão foi anunciada neste domingo 6 pela Comissão de Ética da Confederação.

O cargo será assumido temporariamente pelo vice mais velho, Antônio Carlos Nunes. A defesa de Caboclo nega as acusações e afirma que provará a verdade junto à Comissão de Ética.

O afastamento do presidente se dá em um momento de pressão pela não realização da Copa América. Cabloco teria prometido ao governo federal trocar o técnico Tite por Renato Gaúcho, na próxima terça, após o jogo da seleção brasileira contra o Paraguai, pelas Eliminatórias da Copa. Tite vem criticando a realização do torneio em meio à pandemia.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem