CartaExpressa,Política

Ao contrário de 2018, Maia diz que hoje votaria em Haddad contra Bolsonaro

Ao contrário de 2018, Maia diz que hoje votaria em Haddad contra Bolsonaro

'Com todas as divergências econômicas, eu sei que o governo do Haddad seria democrático'

Rodrigo Maia e Fernando Haddad. Fotos: Wilson Dias/Agência Brasil e Nelson Almeida/AFP

Rodrigo Maia e Fernando Haddad. Fotos: Wilson Dias/Agência Brasil e Nelson Almeida/AFP

O deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ), ex-presidente da Câmara, afirmou nesta terça-feira 23 que votou em Jair Bolsonaro para a Presidência em 2018 por endossar a agenda econômica apresentada pelo então candidato do PSL.

Maia, no entanto, declarou que, em uma eventual repetição do enfrentamento entre Bolsonaro e Fernando Haddad, escolheria o petista.

“Com certeza [votaria em Haddad], não tenho dúvida nenhuma, porque hoje, com todas as divergências econômicas minhas e do PT, eu sei que o governo do Haddad seria um governo democrático”, disse Maia em entrevista ao UOL.

O parlamentar ainda avaliou que a vitória de Bolsonaro foi um “subproduto” da Lava Jato. A operação, segundo Maia, “foi o partido político construído que trabalhou para gerar uma criminalização do Supremo, do STJ e do Congresso Nacional para que pudessem assumir o poder.”

 

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem