CartaExpressa

Agentes da PRF envolvidos na morte de Genivaldo são presos em Sergipe

No último dia 10, o Ministério Público Federal denunciou os policiais à Justiça

Homem negro foi morto sob tortura pela PRF no ano passado. Foto: Reprodução
Apoie Siga-nos no

A Polícia Federal (PF) prendeu nesta sexta-feira 14 os três agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) envolvidos na morte de Genivaldo Santos, 38, em Umbaúba (SE). O pedido de prisão preventiva foi feito pelo juiz Rafael Soares Souza, da 7ª Vara Federal de Sergipe.

A informação foi confirmada à CartaCapital pela direção do Presídio Militar de Sergipe, onde William de Barros Noia, Kleber Nascimento Freitas e Paulo Rodolpho Lima Nascimento estão detidos.

Os mandados de prisão foram cumpridos pela PF ainda pela manhã. Os agentes estiveram no IML (Instituto Médico Legal) para fazer exame de corpo de delito e passaram por audiência de custódia antes de irem para a prisão.

Genivaldo morreu em decorrência de asfixia e insuficiência respiratória após ser trancado no porta-malas de uma viatura da PRF e submetido à exposição de gás lacrimogêneo.

Os agentes envolvidos já haviam sido afastados da corporação após admitirem usar spray de pimenta e gás lacrimogêneo contra a vítima dentro da viatura.

No último dia 10, o Ministério Público Federal (MPF), com base no relatório da PF, denunciou os policiais à Justiça e pediu que o sigilo do processo fosse suspenso. Na ação, o MPF ainda pediu a prisão dos réus e a condenação pelos crimes de abuso de autoridade, homicídio qualificado e tortura.

ENTENDA MAIS SOBRE: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.