CartaExpressa

Adversário da terceira via é Bolsonaro e não Lula, diz Rodrigo Maia

Para ele, a eleição está montada hoje para o petista ganhar e por isso é melhor um candidato de centro do que o Bolsonaro no segundo turno

 FOTO: MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
FOTO: MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL

O ex-presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia acredita que o candidato que surgir da terceira via terá como principal adversário o presidente Jair Bolsonaro para chegar ao segundo turno da eleição de 2022.

“Só tem um para sair do segundo turno, que é o Bolsonaro. O candidato que está no nosso campo da centro-direita bate no Lula para mostrar que é diferente, mas o adversário é o Bolsonaro, que entrou no nosso eleitor”, afirmou em entrevista à Folha de S.Paulo publicada nesta sexta-feira 22.

Na avaliação do parlamentar, o melhor nome para ocupar a vaga de candidato do centro é o do governador João Doria (PSDB-SP).

“Estou convencido que haverá um nome, que eu acho que é o Doria. A terceira via tem uma chance, que é viabilizar um nome no Sudeste. O Sul e o Centro-Oeste estão contaminados pelo bolsonarismo, e o Nordeste pelo lulismo”, disse. “O Sudeste é a região em que você tem menos contaminação pela polarização”.

“O Doria está num estado que nunca foi bolsonarista, aqui Bolsonaro foi uma opção [em 2018]. Nas pesquisas, hoje São Paulo é um estado aberto. Claro que tendo um governo bem avaliado em São Paulo, e o governo Doria vem melhorando, a probabilidade de se viabilizar no Sudeste é muito maior do que a do Eduardo Leite”, acrescenta.

Para o deputado, do jeito que está, a eleição “está montada hoje para o Lula ganhar” e por isso é melhor um candidato de centro do que o Bolsonaro no segundo turno.

“A eleição está montada hoje para o Lula ganhar. Se você desorganizar o processo, acontece o que eu imagino, que é essa orgia fiscal inviabilizar o Bolsonaro”, declarou.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!