CartaExpressa,Economia

20 milhões de pessoas passam 24 horas ou mais sem comer, revela estudo

20 milhões de pessoas passam 24 horas ou mais sem comer, revela estudo

Mais de 24,5 milhões de brasileiros não sabem se vão comer durante o dia e outros 74 milhões estão inseguros

Garoto no Quilombo Kalunga, no interior de Goiás. Um reflexo da insegurança alimentar, que acomete quase metade das crianças quilombolas, é a baixa estatura dos jovens, aponta o estudo

Garoto no Quilombo Kalunga, no interior de Goiás. Um reflexo da insegurança alimentar, que acomete quase metade das crianças quilombolas, é a baixa estatura dos jovens, aponta o estudo

Um estudo feito pela Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede Penssan) mostra que no Brasil 20 milhões de pessoas passam 24 horas ou mais sem comer durante alguns dias.

Além disso, mais de 24,5 milhões de brasileiros não sabem se vão comer durante o dia e outros 74 milhões estão inseguros se vão precisar passar por isso. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira 13 pelo jornal Folha de São Paulo.

Os índices, de dezembro de 2020, apontam que mais de 55% dos brasileiros sofriam algum tipo de insegurança alimentar. 

Nas regiões Norte e Nordeste a situação é mais preocupante. Por lá, a fome afeta entre 18% e 14% das residências. A média nacional é de 9%. 

No Centro-Oeste, região do agronegócio, mais de um terço das famílias tem dificuldade em se alimentar. 

A pesquisa ainda aponta que a piora do cenário brasileiro está na alta inflação, que ocasionou alta de 64% no preço dos alimentos. 

Os altos preços também vêm acompanhados de outro fenômeno, o aumento do consumo dos hiperprocessados, alimentos com baixa qualidade nutricional. 

Segundo o Datafolha, adultos na faixa dos 45 a 55 anos foram os que mais aumentaram esse tipo de consumo, passando de 9% para 16%.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem