CartaCapital

assine e leia

Privatização/ Pelo ralo

Assembleia Legislativa de São Paulo aprova a venda da Sabesp

A votação chegou a ser interrompida por uma confusão nas galerias – Imagem: Tiago Queiroz/Estadão Conteúdo
Apoie Siga-nos no

Em uma sessão marcada por confronto entre manifestantes e a Polícia Militar, a Assembleia Legislativa de São Paulo aprovou, na quarta-feira 6, a proposta de Tarcísio de Freitas para privatizar a Sabesp, a companhia estadual de água e saneamento. O placar foi arrasador. Ao todo, 62 de um total de 94 deputados votaram a favor do projeto do governo. Houve um único voto contrário. Em protesto, a oposição retirou-se logo após a confusão, alegando que o plenário estava contaminado com o gás das bombas de efeito moral.

O governador não teve dificuldades de angariar um número de votos muito superior ao necessário, mesmo após o vexame da Enel – empresa privada de distribuição de energia – no apagão que deixou 2 milhões de paulistanos sem luz por mais de 72 horas. Acreditava-se que o episódio poderia aumentar a resistência às privatizações, mas os governistas não acreditam que serão punidos nas urnas por terem liberado a venda da Sabesp.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

10s