Economia

Após abrir acima de R$ 5, dólar desacelera e vai a R$ 4,78

Cotação reflete reação dos mercados internacionais após declaração de Trump sobre o fechamento das fronteiras dos EUA devido ao coronavírus

Foto: Jorge Araújo/Fotos Públicas
Foto: Jorge Araújo/Fotos Públicas
Apoie Siga-nos no

Após abrir o dia cotado a R$ 5, o dólar desacelerou para R$ 4,78 por volta das 17h10. Na abertura dos negócios, a moeda americana abriu em forte alta nesta quinta-feira 12 e bateu R$ 5 pela primeira vez. A cotação reflete o movimento dos mercados, de olho nos impactos na atividade econômica mundial, após a Organização Mundial de Saúde (OMS) ter classificado o surto como uma pandemia na quarta-feira.

Na véspera, o dólar encerrou o dia em alta de 1,65%, a R$ 4,7215. Na máxima, marcou R$ 4,7584. Na semana, o dólar acumula alta de 1,88%. Na parcial do mês, o avanço é de 5,37%. Em 2020, a alta chega a 17,75%.

Nacionalmente, pesou sobre o mercado de câmbio a derrota sofrida pelo governo no final da tarde de quarta-feira, após o Congresso Nacional derrubar o veto presidencial a projeto que amplia o acesso ao Benefício de Prestação Continuada (BPC), com impacto estimado em cerca de R$ 20 bilhões já no primeiro ano.

Do lado externo, os mercados globais reagiam nesta quinta à decisão do presidente americano, Donald Trump, que suspendeu por 30 dias viagens de estrangeiros procedentes de Europa aos Estados Unidos, numa tentativa de travar a rápida propagação do coronavírus.

Trump anunciou outras medidas para sustentar as empresas norte-americanas e promover o crescimento, mas alguns investidores não se mostraram convencidos de que a economia global pode se recuperar rapidamente conforme crescem as preocupações de que o número de infecções pode aumentar rapidamente em todo o mundo.

Alexandre Putti

Alexandre Putti
Repórter do site de CartaCapital

Tags: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.