CartaCapital

Bancada do Podemos solicita afastamento de Alcolumbre da presidência da CCJ

Alcolumbre teve seu nome vinculado a um suposto esquema de rachadinha praticado em seu gabinete no Senado

O presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM-AP). Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado
O presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM-AP). Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado

Após o presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) , senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), ser alvo de denúncia acerca de suposto envolvimento em esquema de rachadinha a bancada do Podemos no Senado fez uma nota, nesta segunda-feira, 1º, pedindo seu imediato afastamento da presidência da CCJ.

“Tendo em vista as graves denúncias veiculadas na imprensa no último final de semana, o Podemos defende o imediato afastamento do Senador Davi Alcolumbre da Presidência da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado Federal”, diz a nota publicada pelo partido.

Segundo a bancada do Podemos, a medida tem o propósito de não prejudicar o regular andamento dos trabalhos da mais importante comissão da Casa. “O PODEMOS considera necessário que a Presidência do Senado Federal determine um calendário para as votações das indicações de autoridades no Plenário da Casa, cumprindo a pauta e auxiliando a distensionar as divergências.”, acrescenta.

Na última sexta-feira (29), Alcolumbre teve seu nome vinculado a um suposto esquema de rachadinha praticado em seu gabinete no Senado. De acordo com a reportagem da revista Veja, o senador ficou durante anos com o salário de seis assessoras. A revista afirma que o total desviado foi de aproximadamente R$ 2 milhões. O esquema teria funcionado entre janeiro de 2016 e março de 2021.

Em nota divulgada, Alcolumbre afirmou que “vem sofrendo uma campanha difamatória sem precedentes”, citando a denúncia de suposta rachadinha em seu gabinete. “Nunca, em hipótese alguma, em tempo algum, tratei, procurei, sugeri ou me envolvi nos fatos mencionados” O senador também alega que está sendo alvo de “orquestração por uma questão política e institucional da CCJ e do Senado Federal”.

Alcolumbre também vem sendo alvo de críticas por não marcar a sabatina de André Mendonça, indicado do presidente Jair Bolsonaro para ocupar o Supremo Tribunal Federal (STF). Um dos principais críticos da demora de marcar a sabatina é o senador Alvaro Dias (Podemos), em entrevista à CNN, ele enfatizou que “não compete ao presidente da Comissão, Davi Alcolumbre, engavetar, arquivar ou protelar”.

Os senadores do Podemos que assinaram o pedido de afastamento de Alcolumbre foram: senador Alvaro Dias(PR), senador Eduardo Girão (CE), senador Flávio Arns (PR), senador Jorge Kajuru(GO), senador Lasier Martins(RS); senador Marcos do Val(ES), senador Oriovisto Guimarães(PR), senador Reguffe(DF), senador Styvenson Valentim(RN).

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!