Blogs

Umbandistas pela Democracia

“A umbanda é paz e amor, é um mundo cheio de luz” (Trecho do Hino da Umbanda – Composição de José Manoel Alves)

Foto: Tânia Rego / Agência Brasil Foto: Tânia Rego / Agência Brasil
Foto: Tânia Rego / Agência Brasil Foto: Tânia Rego / Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

Em março de 2008, a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara de Deputados Federais aprovou o Projeto de Lei 5687/05 que instituiu o 15 DE NOVEMBRO como Dia Nacional da Umbanda. Tal data se refere à ocasião na qual uma Entidade que se nomeou Caboclo das Sete Encruzilhadas, atuando através do médium Zélio Fernandino de Moraes, anunciou a determinação de dar início a um culto mediúnico que teria nos espíritos de índios brasileiros, pretos escravizados e crianças desencarnadas as bases fundamentais de um trabalho voltado ao socorro espiritual e à assistência material às pessoas necessitadas. Posteriormente, espíritos de Exus e de Pombagiras, representantes de segmentos sociais urbanos tidos como marginalizados, também se apresentaram como espíritos componentes da Egrégora umbandista.

Dado o exposto acima, muitos de nós, umbandistas, reconhecemos o dia 15 de novembro de 1908 como a data representativa da fundação da Umbanda no Brasil. Porém, julgamos ser importante observar que, ainda antes da apresentação do Caboclo da Sete Encruzilhadas na sede da Federação Espírita do Estado do Rio de Janeiro, naquele dia 15 de novembro, trabalhos mediúnicos realizados no território nacional já acolhiam espíritos que se manifestavam conforme os modos supracitados, mas em regiões e por pessoas que eram identificadas como alvos de significativos preconceitos. Além disso, desde suas origens históricas, a Umbanda sempre congregou uma perceptível maioria de mulheres, a evidente adesão de brasileiras e brasileiros afrodescendentes, uma notável participação de pessoas ligadas às comunidades LGBTI e de segmentos sociais economicamente desfavorecidos da população brasileira. Por isso, a propósito, nós, umbandistas, abominamos as falas e as práticas racistas, misóginas, homofóbicas e as políticas econômicas que, ao fim e ao cabo, favorecem a concentração de renda, tragédia crônica em nossa História brasileira. A Umbanda, portanto, desde o seu surgimento, se solidariza com os problemas e com os perfis sociais do povo brasileiro.

O momento atual nos sugere a oportunidade de unirmos os Umbandistas que se opõem aos perceptíveis e recorrentes discursos e propostas de aspectos fascistas. Sempre sentimos na pele a intolerância motivada pelo ódio, nutrida por parcelas de nossa população e que viola nossos Terreiros. Nossos mais antigos irmãos e irmãs de fé lutaram e conquistaram nossos direitos; a Umbanda passou a ser considerada, pela legislação brasileira, uma religião reconhecida como tal.

De acordo com a Constituição Federal, o Estado Brasileiro é laico e garante a liberdade religiosa. Atualmente, a influência nas políticas públicas, dada a opção religiosa do presidente da República, à qual ele tem pleno direito, e com aquiescência de alguns integrantes das Forças Armadas e de não poucos parlamentares, incentiva, direta ou indiretamente, a intolerância e com isso reestimula práticas nefastas do século passado.

Como nos mostra o decorrer da História, a elite brasileira, bem representada no atual governo, costumeiramente apoiou a intimidação, incentivou seitas com pendores à dominação e procurou desqualificar religiões de matriz africana. Recentemente, o presidente da Fundação Palmares, nomeado pelo presidente da República, afirmou que “foi bom para os negros africanos terem sido escravizados” (paráfrase) e, também recentemente, atacou uma Mãe de Santo com ofensas e palavrões totalmente incompatíveis com a decência humana e com a finalidade da Instituição pela qual ele responde.

Atualmente, a grave pandemia de COVID-19 permite a previsão, com mais do que razoável margem de acerto, de um agravamento da miséria, o que poderá gerar um caos social no Brasil. O atual governo, notadamente negacionista quanto aos sérios riscos pandêmicos, propositalmente, conforme entendemos, não apresenta soluções sanitárias eficientes, antes, estimula aglomerações e, manifestando públicos desagrados, deixa a condução das medidas necessárias ao enfrentamento da pandemia à mercê de governadores e prefeitos. Além disso, apesar de ter tornado conhecida a intenção de estender o prazo para a cessão de auxílio emergencial, o governo federal ainda não conseguiu, talvez porque não queira, organizar com eficácia os mecanismos que permitam a chegada de tal auxílio às mãos de inúmeros brasileiros que desse auxílio necessitam. Ações sociais solidárias e espontâneas em ampla medida estão impedindo a morte pela fome, mas entendemos que não serão suficientes.

Nós, umbandistas defensores da Democracia, movimento sem cunho partidário, compreendendo que a situação atual é muito grave no Brasil, unimo-nos para apresentar este manifesto, propor um debate com a sociedade e apresentar as seguintes sugestões:

1) GARANTIA DA DEMOCRACIA

• Unir nossas forças com outras comunidades religiosas e organizações populares, visando refrear a onda neofascista que se espalha pelo Mundo;
• Lutar para impedir ataques as nossas Instituições republicanas;
• Contribuir com a reafirmação e com o aperfeiçoamento do regime democrático no Brasil;
• Promover campanhas de esclarecimento, objetivando a defesa de nossos Terreiros e de outros templos religiosos;
• Combater o preconceito, a discriminação, a segregação sob quaisquer formas que se apresentem;
• Combater todos os atos autoritários que estimulam a violência intolerante, como os são alguns atos característicos do atual governo federal;
• Repudiar e denunciar as notícias falsas (Fake News) que estão desorientando vastos setores de nossa população e lançando seríssimas dúvidas jurídicas sobre a legitimidade da última eleição à Presidência da República, em 2018.

2) PROTEÇÃO DA SAÚDE DA POPULAÇÃO

• Reconhecer a suma importância, para os seres humanos, da Ciência e de especialistas acadêmica e tecnicamente qualificados;
• Estimular organizações nacionais e internacionais em suas pesquisas pela busca dos remédios e da vacina contra o COVID-19;
• Apoiar e divulgar as orientações dos médicos, imunologistas e sanitaristas quanto ao isolamento social;
. Exigir do Ministério da Saúde informações transparentes, corretas e públicas, através de veículos oficiais e órgãos de Imprensa, quanto à evolução da pandemia de COVID-19 no Brasil – Número de contaminados e totalização dos óbitos.
• Apoiar os profissionais de saúde, em especial os do SUS, que estão arriscando suas vidas para tratar e cuidar da população;
• Aplaudir os trabalhadores dos serviços essenciais que, também pondo em risco suas vidas, mantêm nossas cidades funcionando;

3) AMPARO ECONÔMICO AOS AFETADOS PELA PANDEMIA

. Exigir que o Congresso Nacional continue implementando medidas emergenciais para a sustentabilidade econômica e social da população;
. Exigir do Congresso Nacional medidas emergenciais de fato eficientes para o amparo das pequenas e médias empresas, responsáveis pela geração da maioria dos empregos no Brasil, e dos trabalhadores autônomos.
. Exigir do Congresso Nacional a regulamentação do artigo 153, inciso VII, da Constituição Republicana de 1988, que dispõe pela taxação tributária das grandes fortunas, para que a captação dos recursos decorrentes seja aplicada no combate ao COVID-19, na recuperação econômica brasileira e na promoção de uma genuína justiça social.

Assinam este documento os seguintes nomes, em ordem alfabética:

BARRA DO PIRAÍ (RJ) – Marcelo Vitor da Silva Antero – TENDA ESPÍRITA PAI JOÃO, Ogã

CAMPINAS (SP) – Gabriela Botelho Garcia Rasquinho, Janaina Garcia Rasquinho, Leonardo da Silva Simão, Noah da Silva Pereira – CASA DE CARIDADE CABOCLO AKUAN

DUQUE DE CAXIAS (RJ) – Angelina Mascarenhas Dias – TEIUNECC – CASA DE OXUM

FLORIANÓPOLIS (SC) – Thiago de Sousa Vieira – CENTRO ESPIRITA SÃO JOSÉ

LOS ANGELES (EUA) – Marcel de Oliveira – Sacerdote de Umbanda

MACAÉ (RJ) – Gilbert Mota Santos – Curimbeiro

MARICÁ (RJ) – Maria Isabella Freitas, Raphaela Freitas, Rodolfo Freitas – ILÊ DE OYÁ

NILÓPOLIS (RJ) – Eliane Borges – Mãe de Santo, Lenita Maria de Jesus – CENTRO DE UMBANDA FÉ E CARIDADE

NITERÓI (RJ) – Fernanda Araújo – CENTRO ESPÍRITA SANT’ANNA

RIO DE JANEIRO (RJ)

CABANA DOS CABOCLOS GIRASSOL E TUPINAMBÁ (CCGT)

André Alves Libonati – Zelador

André Luis Pimenta da Silva, Adriana Libonati Sá – Mãe Pequena, Rosana Maria de Pina Ferreira – Mãe Pequena, Luiza de Ferreira de Souza Pinheiro Corrêa, André Pinheiro Corrêa, Silvio Libonati, Andréa Libonati Pimenta da Silva, Caroline Libonati Pimenta da Silva

CASA ABASSÁ OMULU OBALUAÊ OXUM

Jonathan Duarte de Azevedo – Pai de Santo, Inayá Braga Mauro – Mãe de Santo

Amanda Silveira de Carvalho dos Santos, Amando da Silva Lima, Ana Maria Cardoso Viana, André Luiz Santana, Beatriz Izidoro, Carlos André Siqueira dos Santos, Cecília Izidoro Pinto, Clarice da Silva Ribeiro, Cristina Alves de Oliveira, Daisy Rodrigues Seixas – Avó de Santo, Danilo Príncipe Cardoso Pinto, Débora de Melo Rosa, Denise Alves Cavalcante, Edson Silva – Avô de Santo, Eduardo Mauro de Andrade – Ogã, Elaine Mauro dos Santos – Mãe Pequena, Federico Rocha Pereira, Flávio Izidoro, Heloísa Marcela Izidoro Pinto de Oliveira, Heloisa Soares de Oliveira Schildt, Irene Moreira – Avó de Santo, José Antônio Cardoso Pinto, Lilia Maria Izidoro Pinto, Liliam Izidoro Pinto, Lucas Araújo Francisco, Márcia Valéria da Silva Camargo – Mãe Pequena, Marina Príncipe Cardoso Pinto, Oscar Pereira da Silva, Paulo Henrique da Silva, Solange Príncipe Cardoso Pinto

TENDA ESPÍRITA PAI MANÉ DE ARUANDA (TEPMA)

Andréa Ferreira dos Santos, Alzira Vitor de Almeida, Ana Cristina de Carvalho, Carla Viviane Santos de Carvalho Alves, Claudia Gomes da Silva Ribeiro, Cláudio Mariano da Silva Pinto – Ogã, Cristiane Gonçalves, Diana Teixeira Monteiro, Eduarda Balduino Carvalho, Eni de Carvalho Silva, Jaqueline Rodrigues de Souza, Jorge Martins Monteiro, Juliana Oscar Guedes, Jurema Lira Buannafina, Maria das Graças Rodrigues de Souza, Rosa Oscar Guedes, Sandra Celeste Monteiro de Vasconcelos, Silvia Regina Paz, Solange Fonseca, Sylvia Helena de Carvalho Arcuri

TEMPLO UMBANDISTA MENSAGEIROS DA PAZ (TUMPAZ)

Luiz Carlos Sixel de Oliveira – Pai de Santo

Albino José Augusto, Amanda Medeiros Tauchen Ruas, Ana Elisa Gonçalves Casemiro, Ana Paula Paiva de Medeiros, Ogã Anderson Luiz Silva Carvalho, Barbara Bruna Nardi, Bárbara Maciel Guimarães, Bianca Real Serrano, Ogã Bruno Venício de Gouvêa Arja, Caio Leal Maia, Calos Henrique Moraes da Cruz, Cirliane Mesquita Ramos, Claudia Esteves de Oliveira, Daniele Ferreira de Almeida Cabral, Dulcemá Gouvêa Arrja, Fátima Cristina Cadilhe da Silva Córdova, Frederico Magalhães, Grabriela Medeiros Leita Arja, Joice Oliveira Batista, Josinete Lopes de Souza, Julia de Souza Garcia, Juliana de Oliveira Lima, Juliana Formaglio da Silva, Larissa Cardoso Ricardo, Leonardo Cabral da Silva, Luciene Castanheira do Rego, Maria Clara Balbuena, Maristela de Souza Rosalino, Renata Fernandes Mendonça, Rosângela Maria de Souza, Tânia Maria Acioli, Tatiana Andrade Conceição, Vanessa dos Santos Diniz, Vinícius Vidal de Alcântara, Viviam de Souza Calidone, Willian Cabral Moraes

ANMA – ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE MÍDIA AFRO – Sérgio d’Osogiyan – Babalaorixá e editor do Jornal Awùre

CONEN Coordenação Nacional de Entidades Negras – Ogã Israel Ofare – Ilê de Oxumaré

Alderisio Catarino dos Santos, Almeida Eugênio Fonseca, Ana Clara Câmara Gomes, Anneliese Schmidt da Silva – Sacerdotisa, Antonio Carlos de Azevedo Moreira – Ogã – CASA DE CARIDADE ESPÍRITA OGUM BEIRA MAR, Antônio Carlos Silva Nogueira – TEMPLO ESPIRITUALISTA ESTRELA POLAR (TEEP), Augusto S. Carvalho – Ogã, Bianca Isabella Nordhaus Colacioppo – Candomblecista – Vodunci, Bismark Alcântara, Bruna Cordeiro da Silva, Bruno Maciel da Costa, Camila da Silva Oliveira – TENDA UMBANDISTA CABOCLO 7 FLECHAS – Dirigente, Carlos Daniel da Silva Abreu – CASA DE CARIDADE VOVÓ CATARINA DE ANGOLA , Carlos Leonardo Vasconcellos de Souza – CABANA DO CABOCLO FOLHA VERDE E VOVÓ ANA – Curimbeiro, Carlos Sampaio – GRUPO UMBANDISTA FILHOS DE OXALÁ – Dirigente, Daniel Medeiros Paris – Médium/Músico, Daniela Maria da Silva – CASA DE CARIDADE VOVÓ CATARINA DE ANGOLA, Denise Cristina de Oliveira Lapá – Zeladora – CENTRO ESPIRITUALISTA DA CABOCLA JUREMA DA MATA VIRGEM , Eduardo Botelho, Eduardo Mello da Cruz – Ogã, Elisangela Maria de Souza, Fernando Tomás Acosta,- Psicólogo – ESPAÇO SOMATO, Franklin Augusto de Castro Emygdio Ribeiro, Gisele Machado Timóteo da Silva – TEEP, Giullyah Gomes – Ekedji, Gustavo Mercês Dinis Lopes, Helber Freitas, Honorato Freitas Filho, Jorge Luiz da Silva Coelho – GRUPO CULTURAL ATABAQUES E TAMBORES (GCAT) – Dirigente, Jorge Roberto Gomes – Zelador, Katia Maria de Fátima Arantes, Kátia Regina Araujo da Silva , Kelly Cardozo Coelho – GCAT, Leandro dos Santos Lima Poubel, Leandro Terra Passos – Zelador, Leila Cristina Monteiro – TENDA ESPÍRITA CABOCLINHA DA OXUM, Luciana Fernandes Moraes – TEEP , Luciano Augusto de Morais – TEMPLO UMBANDISTA JARDIM DE AMOR E LUZ – Curimbeiro, Luciano de Oliveira Silva – CASA DE CARIDADE VOVÓ CATARINA DE ANGOLA), Luiz Carlos de Souza Calidone, Luiz Cesar Cabral Lopes – CASA TIA MARIA DA SERRA, Luiza Gomes S. Carvalho – Zeladora, Mara Cristina Santana dos Santos – Iaô, Marcelo Araújo de Lima , Marcelo Miranda de Leão – Ogã – CABANA DO CABOCLO FLECHEIRO CAÇADOR, Marco Antonio da Silva Alcantara, Marcos Antonio de Andrade da Silva – Médium – TEEP, Marcos Manoel Quintanilha, Marcos Rafael dos Santos Souza – FRATERNIDADE ESPIRITUALISTA MARIA MADALENA, Maria Clara da Silva Abreu – CASA DE CARIDADE VOVÓ CATARINA DE ANGOLA, Maria da Conceição Cotta Batista – KWÊ CEJÁ GBÉ – Candomblecista, Maria Lucia da Silva Freitas, Maria Lucia M. Martins – Ekedji, Mayra Salgado Poubel Lima, Michel Ferreira Saraiva, Monique Ferreira Moura, Nadir Vianna de Vasconcelos – Mãe de Santo, Nelma de Souza de Oliveira Lima – TEEP, Nilton Cesar da Silva – Ogã, Norma Sueli dos Santos Almeida, Pedro Lucas de Andrade Araujo, Rafael Sant Anna Santos – CASA DO CABOCLO UBIRAJARA – Vice Dirigente, Regina Célia de Souza Calidone, Renata Esteves de Sixel de Oliveira, Ricardo Monteiro Rodrigues – Zelador – CASA DE AMOR PAI JOÃO, Roberto Ferreira da Silva – TEMPLO DE UMBANDA ALMAS DE SANTANA – Dirigente, Romildo Nascimento – ESPAÇO GRATIDÃO , Roselea da Silva Costa- Ekedji, Taís Cristini Alves Pereira – Ekedji, Sheila Nascimento – ESPAÇO GRATIDÃO, Tatiana Farhate Candido Gonçalves de Oliveira – TEEP, Vivian Ribeiro Leite – CASA DA CARIDADE ROSA, Wanessa Aparecida Mendes de Santana Serra, Washington Ferreira Leite – CASA DA CARIDADE ROSA, Wilson de Sousa Silva Veloso

PARATY (RJ) – Celso do Nascimento Assis, Cristiane de Araújo Farias – Abiã

QUEIMADOS (RJ) – Luziara da Silva Jesus

SÃO JOÃO DE MERITI (RJ) – Clara Vieira Guimarães de Souza, Dackson Jhoseph Souza Minervino, Elaine Vieira Guimarães – CENTRO ESPÍRITA SÃO JORGE E SANTA BÁRBARA

SÃO PAULO (SP) – Carlos Henrique da Silva Trindade – Ogã, Paulo Temoteo Cordeiro Amorim, Leandro Paulino Pedroso, Renato de Almeida Dias– Pai Pequeno – TEMPLO DE UMBANDA OGUM MEGÊ E CABOCLO MEIA LUA

SUMARÉ (SP) – Robério Lisboa Gomes de Sá

Diálogos da Fé

Tags: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.