Blogs

House of Mãe Joana: volta do AI-5 esquenta a chapa do ‘tolete’ Eduardo

A Banana Republic Original Series (ou o resumo semanal do hospício, porque este Brasil deixou de ser sério faz tempo)

Em entrevista a Leda Nagle, Eduardo Bolsonaro ameaçou o Brasil de
Em entrevista a Leda Nagle, Eduardo Bolsonaro ameaçou o Brasil de "novo AI-5". Foto: Reprodução/Canal Leda Nagle
Apoie Siga-nos no

No episódio desta semana, Eduardo Bolsonaro enfia os pés pelas mãos ao imitar os passos do pai, a jornalista Leda Nagle celebra o fim de um longo período no ostracismo e os talentos do vale-tudo bolsonarista armam um entrevero digno do UFC. A disputa entre Joice Hasselmann e Bia Kicis rouba a cena na modalidade feminina, enquanto Alexandre Frota desafia um oponente cabeçudo pelas redes sociais. Não há regras, meus amigos. 

A chapa esquentou para Eduardo Bolsonaro, não exatamente aquela que ele operou “no frio do Maine”, enquanto se preparava para a carreira diplomática. Rebaixado de embaixador a líder do PSL na Câmara, o filho 03 do presidente agora corre o risco de perder o mandato parlamentar por defender a volta do Ato Institucional nº 5. Se a esquerda aprontar, ameaçou o deputado, papai poderia ser autorizado a fechar o Congresso, intervir nos estados e suspender os direitos políticos de qualquer cidadão por dez anos. Já imaginou?

“Vai chegar o momento em que a situação vai ser igual ao final dos anos 60 no Brasil. Quando sequestravam aeronaves, quando executavam e sequestravam grandes autoridades, cônsules, embaixadores, execução de policiais, de militares. Se a esquerda radicalizar a este ponto, a gente vai precisar ter uma resposta. E uma resposta pode ser via um novo AI-5”

O mau hábito vem de casa. Em 1999, Jair Bolsonaro defendeu em entrevista um novo golpe de Estado para fazer o trabalho que o regime militar não fez, “matando uns 30 mil, começando com o FHC”. Em 2016, o então deputado dedicou o voto pelo impeachment de Dilma Rousseff ao coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, torturador condenado pela Justiça. Agora, recrimina quando o filho tenta imitar os passos do pai:

“Quem quer que seja que fale de AI-5 está sonhando. Está sonhando. Não quero nem ter notícia”

Dudu foi desautorizado pelo pai e também pelo tutor Olavo de Carvalho, o astrólogo que virou “filósofo”:

“AI-5 o caralho. Criminosos têm de ser investigados e punidos, um a um, pelos delitos que cometeram individualmente. Punição coletiva é ideia de jerico. Já foi em 1968 e hoje seria mais ainda”

Ciro Gomes, ex-presidenciável pelo PDT, não poupou adjetivos ao deputado, que por pouco não foi nomeado embaixador do Brasil em Washington.

“Este bando de lunáticos está ultrapassando qualquer limite! Este tolete de esterco é mais perigoso com a mão suja do que exercendo um poder que pensa ter em seu deslumbramento de boçal”

Desamparado, o tolete, perdão, o deputado, desculpou-se repetidas vezes pela ideia de jerico, não sem fazer uma generosa propaganda da edição 1078 de CartaCapital, segundo ele uma prova de que o Foro de São Paulo está prestes a atacar o País. Agradecemos o prestígio, mas recomendamos algumas aulas de interpretação de texto.

As declarações de Eduardo Bolsonaro reavivaram memórias sombrias da repressão, mas não só. Leda Nagle, a entrevistadora que arrancou do parlamentar a declaração sobre o AI-5, considera o episódio revigorante:

“Viu só? Um canalzinho de YouTube. Fico feliz que paute vários jornais (…) Faz entender que estou viva!”

Coube à jornalista Barbara Gancia fazer uma pertinente pergunta, ainda sem resposta:

“Leda Nagle ouviu o filho do Bolsonaro falar em ‘volta do AI 5’ e nem pensou em mandar um ‘Como assim?’ pra entender melhor? Que cazzo de jornalista age assim?”

Depois de conjecturar sobre a possibilidade de um novo AI-5, o ministro Augusto Heleno, chefe do Gabinete de Segurança Institucional, tornou-se alvo de merecidas críticas por parte do presidente da Câmara, Rodrigo Maia:

“Infelizmente, o general Heleno virou um auxiliar do radicalismo do Olavo”

Com a sua habitual classe, Olavo de Carvalho insinuou que o presidente da Câmara segue os passos do deputado federal Alexandre Frota, do PSDB, um dissidente do bolsonarismo:

“O Nhono é discípulo do Fruta”

As ex-amigas Joice Hasselmann e Bia Kicis

O PSL está revelando alguns talentos para a franquia UFC. No vale-tudo ambientado no partido do presidente, a deputada Joice Hasselmann partiu para cima da colega Bia Kicis, alvo de uma representação encaminhada ao Ministério Público do Distrito Federal e Territórios por um ativista, que a acusa de caixa 2 nas eleições passadas:

“A tal Bia Kicis  – a sórdida – tem muito a explicar. Não tenho corrupto de estimação. Quem quiser um corrupto de estimação fique à vontade. Ain, corrupto de direita pode??? Eu tô fora!”

Kicis queixou-se à arbitragem das redes sociais pelo suposto golpe baixo da oponente:

“Deixa de ser sem vergonha, Joice Hasselmann. Eu não sou acusada de nada. Minhas contas foram aprovadas pelo TRE. Só quem pode acusar é o MP. A Folha de S.Paulo postou uma mentira de um ativista tão vagabundo que nem conseguiu legenda para concorrer e foi denunciado na Lei Maria da Penha. Você é baixa!”

Ex-PSL, ex-ator pornô e ex-praticante de jiu-jítsu, Alexandre Frota também parece disposto a chamar atenção dos olheiros do UFC. Ao comentar uma foto publicada por Carlos Bolsonaro, na qual o vereador federal posa ao lado de um laptop e de uma pistola, o deputado tucano desafiou o oponente pelo Twitter:

“Na boa tem cara mais babaca do que esse cabeça de melão? Ele só é algo por causa do pai. Nada faz, só arruma confusão e ainda faz essa foto mostrando o mundo de fantasia em que vive. Problemático, cheio de delírios, é um problema para o pai, um doido iludido”

“Cabeça de melão”, segundo Frota

Fred Melo Paiva

Fred Melo Paiva
Editor-executivo online de CartaCapital, correspondente das Notícias do Hospício e apresentador da série O Infiltrado (History).

Tags: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.