Blogs

Hashtag mostra que burrice do protofascista naScional nos salvará

#STFVergonhaNascional tem erro de português que indica uso de robôs em ação orquestrada para denegrir Supremo nas redes sociais

Supremo Tribunal Federal
Supremo Tribunal Federal

Durante a tarde desta quarta-feira 28 figurou entre os assuntos mais comentados do Twitter no Brasil a hashtag #STFVergonhaNascional, um tanto suspeita em seu analfabetismo.

Aos navegantes de primeira viagem, as hashtags são palavras-chave antecedidas pelo símbolo popularmente conhecido como jogo da velha. Ao serem grafadas em mensagens de redes sociais, têm a função de aglutinar posts que tratam do mesmo assunto.

À medida que mais e mais pessoas usam a mesma hashtag, o tema em pauta se põe a subir os degraus dos assuntos mais comentados de uma cidade, de um país ou do mundo. No Twitter, os chamados Trending Topics.

Desde que pai Jucá previu o golpe “com o STF, com tudo”, sabe-se que de fato o STF é uma vergonha nacional – mas jamais uma vergonha naScional, com o S imiscuído entre o A e o N, como quer fazer crer a reforma ortográfica proposta pela supracitada hashtag.

Bolsominions, também se sabe, não são muito afeitos à educação. O próprio ministro da pasta cometeu 33 erros de português em tuítes nos últimos dois meses, conforme reportagem do site DCM. Mas é improvável que tantos e tantos espécimes dessa fauna ruminante possam ter escorregado na mesma casca de banana.

Convenhamos. Estranho no ninho, o S sob suspeita só pode ter se disseminado se fabricado por disparo em massa, produzido por robôs e saído da cabeça pensante de um único iletrado – ou de um diminuto grupo de iletrados, vamos convir.

Conclusão, há uma ação orquestrada para desmoralizar a vergonhosa corte, nos mesmos moldes daquelas tantas que ganharam a eleição disseminando mamadeiras de piroca e quetais.

A burrice do bolsonarismo é uma aliada imprescindível. Já houve o hacker de Araraquara a se apresentar dizendo “hacker aqui” e a grafar um “outrossim”. A burrice do protofascista naScional nos salvará das trevas. Amém.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!