Augusto Diniz | Música brasileira

Jornalista há 25 anos, Augusto Diniz foi produtor musical e escreve sobre música desde 2014.

Augusto Diniz | Música brasileira

Documentário mostra a arte de fazer zabumba pelas mãos de Mestre Simão

Artista é um dos poucos que ainda produz o instrumento; vídeo traz o processo artesanal de um dos ícones do Nordeste

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução
Apoie Siga-nos no

Mestre Simão começou aos 15 anos. Hoje, ele tem 84. Seu pai fazia o mesmo, assim como seu avô. São cerca de 200 anos de tradição na produção de jogos de zabumba e pífanos.

No município de Ribeira do Pombal, no semiárido baiano, o vídeo-documentário lançado há poucas semanas Os Pífanos e a Zabumba do Mestre Simão (35 min.) mostra o trabalho deste artesão e músico, um dos poucos ainda a preservarem a construção artesanal de dois instrumentos ícones do Nordeste.

No início do filme, Mestre Simão explica que a tradição da zabumba vem dos caboclos e indígenas. Pode parecer uma contradição, já que a zabumba é mais associada à cultura afro, mas é que os índios Kaimbé, que vivem ali próximos no município de Euclides da Cunha, tocam pífano e zabumba em suas festas e rituais – há vídeos na internet da prática. Talvez esse seja o motivo do artista fazer essa relação, mas sabe-se que ao longo da história negros e índios trocaram influências culturais.

O filme mostra Mestre Simão talhando caule de tamboril, madeira de fácil corte e leve, para produção do corpo da zabumba e usando o couro de carneiro, já passado pelo curtume e deixado de molho na água com cal, para posterior raspagem do pelo e colocação no corpo do instrumento. Depois, vem o encordoamento e acabamento.

Na produção do pífano, usa-se cano de PVC (antes era feita de taboca ou bambu), com bocal de madeira. Há pouco uso de ferramentas de marcenaria elétricas e quase tudo é feito de forma muito rústica.

Mestre Simão toca ainda na Banda de Pífanos Raio do Sol nas festas populares na região. O documentário é um bom registro e acervo.

O filme foi gravado pelo Núcleo de Comunicação Digital do Ponto de Cultura Os Sertões, dirigido por Antenor Júnior e auxiliado por Cosme Rocha.

Augusto Diniz

Augusto Diniz
Jornalista há 25 anos, com passagem em diversas editorias. Foi produtor musical e escreve sobre música desde 2014.

Tags: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.