Augusto Diniz | Música brasileira

Jornalista há 25 anos, Augusto Diniz foi produtor musical e escreve sobre música desde 2014.

Augusto Diniz | Música brasileira

Documentário inédito leva o espectador ao imaginário inquieto de Arrigo Barnabé

‘O Homem Crocodilo’ é um dos destaques do festival In-Edit, que começa na quarta-feira 12, em São Paulo

Foto: Reprodução
Apoie Siga-nos no

O universo de Arrigo Barnabé é inquieto, irônico, sarcástico, teatral, experimental, tenebroso, instigante, perturbador e perspicaz. Tudo quase ao mesmo tempo.

O documentário O Homem Crocodilo, de Rodrigo Grota, estreia no In-Edit Brasil – Festival Internacional do Documentário Musical, realizado de 12 a 23 de junho, em São Paulo, e mergulha nas referências artísticas do cantor, compositor, pianista e ator no seu sentido inconsciente.

Para chegar a esse resultado, o longa-metragem não se vale de cenas sequenciais lineares, contínuas e autoexplicativas, mas abstratas e oníricas. Não há depoimentos sobre o artista. A única fala é do próprio “homem crocodilo”, Arrigo Barnabé.

O título remete à sua obra de estreia, um marco de inovação: o álbum Clara Crocodilo (1980), cujo trabalho é amplamente utilizado como objeto do filme.

O longa-metragem também faz referências aos trabalhos autorais Tubarões Voadores (1984) e Missa in-Memoriam Arthur Bispo do Rosário (2003), entre outros projetos.

A ambiência do filme remete, em parte, à terra de Arrigo, Londrina (PR), com imagens da natureza e cenas urbanas um tanto sombrias, mas parte do imaginário do personagem central da obra.

O Homem Crocodilo cutuca as rupturas do trabalho do músico. A narrativa está em permanente busca por uma estética que parece inalcançável, mas possível. É um filme mais reflexivo do que propriamente de exaltação clássica documental.

O filme de Rodrigo Grota participa da competição nacional da 16ª edição do In-Edit Brasil, o maior festival de documentários ligados à música no País. Informações sobre como assistir ao longa estão no site da mostra.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo