Você está aqui: Página Inicial / Sociedade / Sem-terra ocupam fazenda de Daniel Dantas

Sociedade

Pará

Sem-terra ocupam fazenda de Daniel Dantas

por Agência Brasil publicado 10/07/2012 14h40, última modificação 10/07/2012 14h46
Os manifestantes chegaram à tarde e controlaram toda a propriedade, de cerca de 14 mil hectares

 

Alex Rodrigues
Repórter da Agência Brasil

 
Brasília – Cerca de 400 integrantes da Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetagri) no Pará ocupam, desde segunda-feira 9, a fazenda Itacaiúnas, da Agro Santa Bárbara, pertencente ao Grupo Opportunitty, do qual o banqueiro Daniel Dantas é um dos principais acionistas.

Segundo a assessoria do grupo agropecuário, os manifestantes chegaram à tarde e controlaram toda a propriedade, de cerca de 14 mil hectares – 1 hectare equivale às medidas de um campo de futebol oficial –, não permitindo que os funcionários entrassem na fazenda ou saíssem de lá. Nesta manhã (10), o grupo deu um ultimato para que todos os funcionários deixassem suas casas até o meio-dia. Ainda de acordo com a assessoria da Agro Santa Bárbara, o grupo ameaçou destruir as moradias, elevando a tensão. A polícia foi chamada.

De acordo com o secretário-geral da Fetagri no estado, Francisco de Assis Soledade, a ocupação foi coordenada pelo Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Marabá, que é ligado à federação. O objetivo do grupo é forçar o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) a desapropriar a área para fins de assentamento rural.

“As famílias estão esperando há mais de um ano que o Incra cumpra o compromisso assumido pelo seu presidente, que esteve na região, reuniu-se com o grupo e prometeu que, até julho de 2011, a fazenda seria desapropriada e um projeto de assentamento instalado. Na ocasião, todos achamos que o acordo seria cumprido, mas, desde então, nada foi feito”, disse Soledade à Agência Brasil.

Localizada a cerca de 40 quilômetros do centro de Marabá, no sudeste paraense, a Fazenda Itacaiúnas é uma das várias propriedades do grupo alvo da ação de movimentos sociais, que reivindicam a desapropriação das áreas para reforma agrária. Em 2009, a Justiça chegou a determinar o confisco de 27 fazendas de Dantas, em decorrência da Operação Satiagraha, deflagrada pela Polícia Federal em 2008. A decisão, contudo, foi anulada em janeiro deste ano.

No último dia 21, ao menos 12 pessoas ficaram feridas durante um confronto entre trabalhadores sem terra e homens contratados pela empresa para cuidar da segurança da Fazenda Cedro, localizada a cerca de 50 quilômetros de Marabá. Desde 2009, cerca de 300 famílias sem terra permanecem acampadas em uma parcela do complexo, cuja sede é a própria Cedro, mas que reúne outras áreas, como a da Itacaiúnas, totalizando, segundo a assessoria do grupo, cerca de 14 mil hectares.

Em seu site, a Agro Santa Bárbara diz ter começado a atuar no estado em 2005, por ter encontrado ali as condições climáticas e geográficas ideais para o desenvolvimento do rebanho, atualmente distribuído por cinco unidades de produção que, juntas, somam mais de 500 mil hectares de terra, cada qual com capacidade para criar acima de 100 mil animais.

 

*Matéria originalmente publicada em Agência Brasil

registrado em: ,