Política

Cachoeiroduto

Relator do Conselho de Ética do Senado pede cassação do mandato de Demóstenes Torres

por Redação Carta Capital — publicado 25/06/2012 22h31, última modificação 25/06/2012 22h31
Humberto Costa declarou que Demóstenes atuava como um braço político do esquema de jogos ilegais montado por Carlinhos Cachoeira.

Luciana Lima
Repórter da Agência Brasil

Brasília - O senador Humberto Costa (PT-PE), relator do processo de quebra de decoro do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO), no Conselho de Ética, pediu na noite desta segunda (25) a cassação do mandato de parlamentar.

No voto, Costa declarou que Demóstenes atuava como um braço político do esquema de jogos ilegais montado pelo empresário goiano Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

“Considerado todo conjunto da obra, é impossível não concluir que ela o desabona. Quem julga somos nós, mas é o seu passado que o condena", disse Costa.

Cachoeira está preso desde fevereiro apontado pela Polícia Federal como suspeito de comandar uma rede criminosa com a participação de empresários e políticos. De acordo com o relator, Demóstenes Torres usou seu mandato para beneficiar o empresário.

O documento tem 77 páginas. A primeira parte (nove páginas) faz uma descrição do processo, O voto corresponde às 68 páginas restantes.

registrado em: ,