Você está aqui: Página Inicial / Cultura / Festival de Cinema de Berlim 2013 em números

Cultura

Alemanha

Festival de Cinema de Berlim 2013 em números

por Deutsche Welle publicado 07/02/2013 10h10, última modificação 07/02/2013 10h18
Quantos filmes serão exibidos, quantas salas participam, quais países têm mais concorrentes? Algumas estatísticas para se orientar no megaevento

A 63ª edição do Festival Internacional de Cinema de Berlim, na Alemanha, começa nesta quinta-feira 7 e segue até 17 de fevereiro. Mas você sabe quantos filmes serão exibidos, quantas salas participam, quais países têm mais concorrentes, quantos representantes da imprensa e do setor cinematográfico estarão presentes? Abaixo, o evento em números, dados, fatos e recordes.

O programa

Do catálogo da Berlinale deste ano constam 404 filmes de 70 países, a maioria em sua estreia mundial ou na Europa. São produções de todos os gêneros, durações e formatos, exibidas em mais de mil sessões, nas diversas mostras que compõem o evento.

Mostra competitiva

Este ano, 19 produções concorrem aos Ursos de Ouro e de Prata. A participação mais forte é dos Estados Unidos e da França, cada qual com seis filmes. A Alemanha só tem um candidato: o épico de emigrantes Gold, de Thomas Arslan, com Nina Hoss no papel principal.

Astros e estrelas

Hollywood promete enviar a Berlim Matt Damon, Nicolas Cage, Jude Law, Anne Hathaway e Jeremy Irons, entre outros. Da França vêm Catherine Deneuve, Isabelle Huppert e Juliette Binoche. Anita Ekberg, ícone do cinema desde sua participação em La dolce vita (1960), de Federico Fellini, também estará presente. Assim como Jane Fonda e Isabella Rossellini ou os alemães Martina Gedeck, Uwe Ochsenknecht e Til Schweiger. Também está anunciada a presença de cineastas de gabarito, como Steven Soderbergh, Michael Winterbottom e Ken Loach.

          

Júris

Ao todo, cerca de 50 júris decidem sobre as premiações durante a Berlinale. O principal, presidido pelo diretor chinês Wong Kar Wai, é responsável pela atribuição dos Ursos de Ouro e de Prata.

O mais curto

Remanence I – (Lost, lost, lost, lost) mal dura dois minutos. Apresentado na seção Forum Expanded, o filme mostra, sem palavras, antigos vestígios de magnetização em materiais desmagnetizados.

O mais longo

Shoah, a monumental obra-prima do documentarista francês Claude Lanzmann sobre o extermínio dos judeus europeus pelo regime nazista, dura 506 minutos, ou mais de nove horas. O filme que fez furor na Berlinale de 1986 será exibido pela primeira vez em versão restaurada e digitalizada. Em 14 de fevereiro, Lanzmann recebe o Urso de Ouro de Honra, pelo conjunto de sua obra.

Os novatos

Pela primeira vez, o Cazaquistão tem uma produção incluída na mostra competitiva: Uroki Garmonii, de Emir Baigazin. E a seção Cinema Culinário exibe The rice paddy, primeiro filme inteiramente rodado no idioma dong, falado nas províncias do Sudoeste da China.

Pacotes duplos

Fato inédito: o diretor português João Viana apresenta seu Tabatô tanto na mostra de curtas quanto no Fórum do Cinema Jovem, em versão longa e com título diferente. Também não é comum dois filmes trazerem o mesmo nome: Gold, de Thomas Arslan, participa da competição, enquanto o documentário homônimo de Michael Hammon, que enfoca os Jogos Paraolímpicos, poderá ser assistido na Berlinale Special.

Perfil do festival

A Berlinale pode ser definida como um megaevento cultural e uma festa dos encontros e discussões. Com quase 300 mil ingressos vendidos, em termos de público trata-se do maior festival de cinema do mundo. Ao mesmo tempo, 20 mil convidados de 130 países, entre os quais 4 mil jornalistas, o transformam num dos mais importantes acontecimentos do setor. Durante dez dias, arte, glamour, festa e negócios convivem em Berlim, lado a lado.

registrado em: