Você está aqui: Página Inicial / Cultura / Carroll Baker, a Marilyn que não foi

Cultura

Calçada da Memória

Carroll Baker, a Marilyn que não foi

por José Geraldo Couto — publicado 13/10/2012 19h54, última modificação 13/10/2012 19h54
Carroll Baker, o talento indigente lhe garantiu somente o posto de starlet
carrolpost

Carroll Baker, o talento indigente lhe garantiu somente o posto de starlet

Carroll Baker é um caso emblemático de Hollywood. Era para ser uma Marilyn Monroe, mas por uma conjunção de fatores – entre eles os limites de seu talento – acabou não completando o salto necessário de starlet a estrela. Ficou no meio do caminho.

Filha de um caixeiro-viajante de origem polonesa, Carroll foi dançarina de boate e ajudante de mágico para custear suas aulas no Actors Studio, de Nova York. Fez comerciais e pequenos papéis na Broadway antes de ter sua primeira ponta no cinema, em Fácil de Amar (1953), um veículo para Esther Williams.

A Warner, vislumbrando uma nova Marilyn, escalou-a como filha do protagonista (Rock Hudson) em Assim Caminha a Humanidade (George Stevens, 1956). No mesmo ano, teve seu ápice ao estrelar Baby Doll – Boneca de Carne (Elia Kazan), que lhe valeu uma indicação ao Oscar.

Por recusar seguidamente certos papéis – entre eles o de uma ninfomaníaca no apelativo O Gosto Amargo da Glória –, foi colocada na geladeira pelo estúdio, que a impediu de atuar em produções de outras companhias, como As Três Máscaras de Eva, Gata em Teto de Zinco Quente e Os Irmãos Karamazov.

Sua carreira não decolou, apesar de um ou outro filme digno e de um certo folclore ao seu redor. Reza a lenda que, quando filmava Na Vastidão da África (1965), no Quênia, um chefe de tribo ofereceu 150 vacas e 200 cabras, além de 750 dólares, para ficar com ela.

Sua última atuação marcante foi no drama social Ironweed (1987), de Hector Babenco. No mais, apareceu em telefilmes, seriados e produções de segunda linha. Aos 79 anos, está aposentada e mora em Londres.

DVDs

Boneca de Carne (1956)
No Mississippi, Baby Doll (Baker) se casa virgem com homem mais velho (Karl Malden), com o acordo de que o casamento só será consumado quando ela fizer 20 anos. Às vésperas da data, Baby Doll acirra a tensão entre os homens à sua volta, tendo como pano de fundo as disputas entre fazendas de algodão. Belo drama de Kazan.

Da Terra Nascem os Homens (1958)
Neste western dramático de William Wyler, um capitão aposentado da Marinha (Gregory Peck) chega ao Velho Oeste para casar com a noiva, Pat Terrill (Carroll Baker), filha mimada de um latifundiário da região, e logo se vê envolvido em conflitos de terra e sofre a hostilidade dos rudes habitantes.

Os Insaciáveis (1964)
Baseado em romance de Harold Robbins, este drama de Edward Dmytryk retrata um magnata megalômano e sem escrúpulos (George Peppard), inspirado em Howard Hughes. Carroll Baker é Rina Marlowe, stripper e atriz modelada em Jean Harlow, tida como amante de Hughes. Interessante comparar com O Aviador, de Scorsese.