Sociedade

Transporte Público

Protesto contra aumento de tarifa vira tumulto em São Paulo

por Redação — publicado 09/01/2015 19h23, última modificação 09/01/2015 21h21
Policiais militares teriam respondido com bombas de efeito moral quando um grupo de black blocs jogou pedras contra lojas na região da Consolação

Uma manifestação convocada pelo Movimento Passe Livre (MPL) transformou-se em tumulto no centro de São Paulo nesta sexta-feira 9, após a PM ter revidado com bombas de efeito moral e de gás a ação de black blocs que teriam jogado pedras contra lojas na região da Consolação.

A Polícia Militar informou que uma concessionária de veículos na Augusta, e que um ônibus foi queimado na rua Bahia, em Higienopolis.

De acordo com a PM, 13 pessoas foram detidas pelo 4.º DP, oito pelo 2.º e trinta pelo 78.º.

O objetivo do ato era protestar contra o aumento na passagem de ônibus, de R$ 3 para R$ 3,50, motivo similar ao que motivou a onda de manifestações em junho de 2013. Nesta semana, a prefeitura e o governo do estado anunciaram um projeto de passe livre para estudantes que, segundo os organizadores do movimento, visava desmobilizar o ato. O protesto começou às 17h e foi declarado seu fim pouco antes das 21h.

Enquanto a ação ainda se desenvolvia e bombas eram lançadas na região, a Polícia Militar utilizava sua conta no Twitter para criticar o desenrolar da manifestação: "Isso é democracia?"

Minutos depois, uma outra mensagem poderia servir de retratação para as ações nas ruas: "Repudiamos o vandalismo".

 

Black Blocs atuando na manifestação. Atacaram pedras em viatura da Polícia Militar.Isso é democracia? pic.twitter.com/Xt09WqV01z

— POLÍCIA MILITAR - SP (@PMESP) 9 janeiro 2015