Você está aqui: Página Inicial / Sociedade / Governo triplicou atenção para garantir segurança do Enem, diz Mercadante

Sociedade

Educação

Governo triplicou atenção para garantir segurança do Enem, diz Mercadante

por Redação Carta Capital — publicado 02/11/2012 13h38, última modificação 06/06/2015 19h23
Prova custou 46 reais por estudante e será aplicada neste fim de semana aos 5,79 milhões de inscritos
educação1

Foto: Gilson Teixeira/D. A. Press

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, afirmou nesta sexta-feira 2 que o governo triplicou a atenção para garantir a segurança Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A prova será aplicada neste fim de semana aos 5,79 milhões de estudantes inscritos em todo o país.

“Triplicamos os pontos de atenção para ter muito mais rigor e muito mais segurança em todos os processos de conclusão dos itens e impressão das provas,  na segurança que todo esse processo exige até a conclusão do Enem”, disse em entrevista para explicar o planejamento estratégico para a realização das provas.

Neste ano, o teste custará 46 reais por pessoa, com um total de 266,3 milhões de reais. O valor leva em conta o montante arrrecadado com a taxa de 35 reais cobrada de parte dos estudantes. Ficam isentos alunos em fase de conclusão do ensino médio em escolas públicas e candidatos com baixa renda. Em 2011, o teste custou 45 reais por aluno, com despesa de 238,5 milhões de reais e 5,3 milhões inscritos.

“O Enem hoje é o segundo maior exame do planeta, não é uma tarefa qualquer. Mais que a população do Uruguai estará nas salas de aula amanhã e depois tentando uma vaga na universidade. É uma operação ampla e complexa”, disse o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), Luiz Cláudio Costa.

             

Todas as provas já foram distribuídas e estão guardadas em lugares próximos aos locais de prova, segundo Mercadante. Mais de 560 mil pessoas estarão mobilizadas durante o fim de semana para a realização das provas, entre elas 19 mil policiais.

Em edições recentes houve problemas na realização do Enem. Em 2009, a prova foi furtada na gráfica por um funcionário da empresa contratada para aplicar o teste. O exame foi cancelado e um novo teste realizado. No ano passado, alunos de um colégio no Ceará receberam material com questões que caíram na prova.

O planejamento para 2012 tem 3,4 mil itens em 11 etapas, desde mudanças pedagógicas no exame até a divulgação dos resultados. “Estamos trabalhando intensamente em todas essas etapas para dar tranquilidade aos estudantes”, disse Costa.

Apesar do tamanho e da complexidade logística para a realização das provas, Mercadante reafirmou que a segurança do processo está garantida e que os todos os riscos foram avaliados pelo governo. “É um momento de grande expectativa, mas os estudantes podem ficar tranquilos porque temos muita segurança de que farão a prova nas melhores condições."

O ministro reiterou a recomendação de que os estudantes fiquem atentos ao horário de início das provas nos dois dias, às 13h, no horário oficial de Brasília, mesmo nas cidades com fuso horário diferente ou que não estão no horário de verão.

O Enem terá quatro provas objetivas, com 45 questões cada uma, e a redação. No sábado 3, os candidatos vão responder a questões de ciências humanas e suas tecnologias e ciências da natureza e suas tecnologias. No domingo 4, serão aplicadas as provas de linguagens, códigos e suas tecnologias e de matemática e suas tecnologias, além da redação.

Confira abaixo as regiões com maior e menor participação  no Enem:

Com informações Agência Brasil