Você está aqui: Página Inicial / Sociedade / Desacato contra quem?

Sociedade

Preconceito

Desacato contra quem?

por Redação Carta Capital — publicado 14/05/2012 18h33, última modificação 14/05/2012 18h33
Policiais de Minas prenderam Emicida por considerarem ofensivo o comentário do rapper durante apresentação na periferia de Belo Horizonte
e1PB1

Emicida, preso por colocar o 'Dedo na Ferida'

Após exatos 124 anos da abolição da escravatura, a notícia da prisão de um artista negro encheu de indignação os usuários do Twitter. Na noite do domingo 13 o rapper Emicida foi detido em Belo Horizonte, após ser acusado de desacato à autoridade, durante a realização de um show gratuito na periferia da capital mineira.

O motivo foi um comentário feito pelo rapper antes de dar início à música Dedo na Ferida. Emicida pediu à platéia para manifestar seu apoio aos moradores de Eliane Silva, terreno que desde a sexta-feira 11 está sendo desocupado pela Polícia Militar.

“Antes de mais nada, somos todos Eliana Silva, certo? Levanta o seu dedo do meio para a polícia que desocupa as famílias mais humildes, levanta o seu dedo do meio para os políticos que não respeitam a população e vem com ‘noiz’ nessa aqui, ó. Mandando todos eles se f****, certo, BH? A rua é noiz”, proclamou.

Policiais militares que prestavam serviço no evento consideraram o comentário ofensivo, esperaram que Emicida terminasse seu show e deram voz de prisão ao músico. Ele foi levado ao 39º DP (Barreiro) pouco depois das 19h30 e liberado por volta das 22h35.

Imediatamente o rapper anunciou em seu perfil do Twitter: “Fui preso por desacato à autoridade após o show em BH por causa da música Dedo na Ferida”. Logo a detenção se tornou um dos assuntos mais comentados na rede social, através das hashtags #LiberdadeEmicida e #dedonaferida.

De acordo com a assessoria da Polícia Militar de Minas Gerais, houve a preocupação de que o comentário de Emicida levasse o público a praticar atos de vandalismo. Em seu site, o rapper deixou claro que em nenhum momento se dirigiu diretamente aos policiais militares que trabalhavam no evento ou pediu ao público para fazer algum gesto obsceno a eles. A apresentação ocorreu sem nenhuma confusão.

Ainda em seu site, o músico conta que no Boletim de Ocorrência sua fala foi deturpada. A alegação dos policiais é a de que ele teria dito a seguinte frase: "Eu apoio a invasão do terreno Eliana Silva, região do Barreiro, tem que invadir mesmo, levantem o dedo do meio para cima, direcione aos policiais, pois todos esses tem que se f****".  Por isso o músico não assinou o documento.

Dedo na Ferida fala de repressão e critica a polícia. A letra foi escrita após a violenta desocupação do Pinheirinho, em São José dos Campos, em janeiro deste ano. "O rap ainda é o dedo na ferida".

Assista ao clipe: