Você está aqui: Página Inicial / Sociedade / CPI do Tráfico de Pessoas convoca acusados de pertencer a quadrilha internacional

Sociedade

Investigação

CPI do Tráfico de Pessoas convoca acusados de pertencer a quadrilha internacional

por Redação Carta Capital — publicado 05/02/2013 17h47, última modificação 06/06/2015 17h37
Dupla foi presa após denúncia ao 180 sobre rede de exploração sexual que enviava mulheres de Salvador a boates na Espanha

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Tráfico de Pessoas aprovou nesta terça-feira 5 requerimentos para a convocação de dois acusados de integrar uma quadrilha de tráfico internacional de pessoas. Elizânia dos Santos Evangelista e Denison Costa Pereira Reis foram presos na última semana na Operação Planeta, da Polícia Federal e autoridades espanholas, como suspeitos de aliciar mulheres em Salvador e enviá-las para boates em Salamanca, onde eram forçadas a se prostituir.

Os dois vão prestar esclarecimentos aos parlamentares em 21 e 22 de fevereiro, em diligência a ser realizada em Salvador.

Segundo a Polícia Federal, o casal estava a serviço do dono da casa noturna, o espanhol Bermudez Motos, que está foragido em seu país natal. A CPI também convocou a esposa do proprietário da boate, Renata Gomes Nunes, que está em São Paulo.

Este caso foi descoberto por meio de uma denúncia anônima ao Disque 180, da Secretaria de Políticas para as Mulheres, do governo federal. O serviço, que também aceita ligações internacionais, recebeu 80 denúncias no ano passado. De janeiro a dezembro de 2012, 26 telefonemas relataram violência física contra brasileiras no exterior. Desse total, em 66% dos casos houve alerta sobre o risco de morte e em 19% para o de espancamento.

Ao falar nesta terça-feira sobre os dados do balanço da Central de Atendimento à Mulher - Ligue 180 Internacional, a ministra Eleonora Menicucci afirmou que a violência contra as brasileiras transpõe fronteiras e que o País tem condições de evitar que mulheres fiquem presas à violência por questões burocráticas.

 

Disque 180

Nas denúncias, em mais da metade foi possível identificar a origem da vítima no Brasil. O Sudeste lidera com 35%, depois vêm o Nordeste, com 30%, o Centro-Oeste, com 15%, o Sul, com 12,5%, e o Norte, com 7,5%.

No Nordeste, as vítimas, identificadas por meio das denúncias, saíram de Alagoas (três), do Ceará (cinco), do Maranhão (duas), de Pernambuco (uma) e da Bahia (uma). Do Centro-Oeste, cinco vieram de Goiás e uma do Distrito Federal. Do Sul, três mulheres vieram do Paraná e duas do Rio Grande do Sul. No Norte, duas saíram do Pará e uma é de Roraima.

Segundo os relatos, as denúncias mais frequentes são as agressões físicas seguidas pelas psicológicas e de ordem moral. Há, ainda, informações sobre cárcere privado e violência contra o patrimônio.

Na Espanha, as brasileiras vítimas de violência devem ligar para o número 900 990 055, fazer a opção 1 e, em seguida, informar à atendente (em português) o número (61) 3799-0180.

Em Portugal, devem ligar para 800 800 550, também fazer a opção 1 e informar o número (61) 3799-0180. Na Itália, podem ligar para o 800 172 211, fazer a opção 1 e, depois, informar o número (61) 3799-0180.

O Ligue 180 Internacional foi criado em novembro de 2011. Para o Brasil, o serviço funciona desde 2005 e registra mais de 3 milhões de atendimento em todo o território brasileiro, segundo a secretaria.

Na última sexta-feira 1, Menicucci e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, informaram que duas quadrilhas que foram desbaratadas nos últimos sete meses em decorrência de duas operações da Polícia Federal (PF). No total, as operações levaram ao resgate de 40 vítimas do tráfico internacional de mulheres, entre brasileiras e estrangeiras, que eram exploradas sexualmente na Espanha.

Com informações Agência Brasil e Agência Câmara.

registrado em: , ,