Você está aqui: Página Inicial / Sociedade / Ao todo, MEC elimina 65 pessoas por postagem de fotos do Enem na internet

Sociedade

Educação

Ao todo, MEC elimina 65 pessoas por postagem de fotos do Enem na internet

por Redação Carta Capital — publicado 04/11/2012 18h23, última modificação 04/11/2012 20h42
Após exame, ministro da Educação chama candidatos desclassificados de 'pichadores eletrônicos'
educação1

Foto: Gilson Teixeira/D. A. Press

Atualizado às 21h40 de domingo 4.

No segundo dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste domingo 4, mais 28 candidatos que postaram imagens da prova na internet foram desclassificados pelo Ministério da Educação. Ao todo, 65 pessoas foram eliminadas por este motivo.

A postura dos candidatos eliminados foi criticada pelo ministro da Educação, Aloizio Mercadante. "É quase como se fossem pichadores eletrônicos. É o mesmo tipo de querer deixar registrado. A impressão que dá é que [os estudantes] não têm nenhum tipo de responsabilidade com a prova, como se fosse uma aparente irreverência. Mas é uma aparente irreverência que prejudica e desestabiliza e gera insegurança processual naquilo que é o destino de milhões de pessoas que estão seriamente estudando", afirmou em coletiva de imprensa após o fim do exame.

O MEC, com a ajuda do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), monitorou as redes sociais durante os dois dias do teste para identificar vazamentos. Com isso, os estudantes que não foram flagrados durante a postagem ainda podem ser eliminados caso sejam encontradas mensagens na internet mesmo depois da realização do exame.

Segundo dados preliminares divulgados neste domingo por Mercadante, a prova teve índice de abstenção maior que a última edição. Em 2012, 27,9% dos 5,79 milhões de inscritos, ou 1,6 milhão de pessoas, não realizaram o exame.

No ano passado, 26,4% dos inscritos não compareceram, sendo que em 2010 esse nível foi de 28%.

Em 2012, os estados com maior índice de faltas nos dois dias foram Roraima, Bahia e Amazonas. Por outro lado, Piauí, Santa Catarina e Alagoas tiveram os menores níveis.

     

Redação

Neste domingo, os candidatos tiveram que responder a questões de português, códigos e matemática e escrever uma redação sobre O Movimento Imigratório para o Brasil no Século 21.

Este ano, uma das novidades é a nova metodologia de correção da prova de redação, que será avaliada por duas pessoas, sem que uma conheça a nota que a outra deu. De acordo com o Inep, se a diferença da nota final da redação for superior a 200 pontos, o texto será lido por um terceiro corretor.

Anteriormente, a terceira correção só ocorria quando a divergência entre as notas era superior a 300 pontos. Na hipótese de a nota do primeiro corretor ser diferente da oferecida pelo segundo em menos de 200 pontos, a nota final da redação do candidato será obtida por meio da média aritmética das duas.

Na correção da redação, segundo o Inep, cinco critérios serão considerados: domínio da língua portuguesa; compreensão do tema proposto; capacidade de selecionar e organizar ideias; conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação; e elaboração de proposta para o problema abordado.

Pelas regras do Enem, o estudante terá nota zero na redação se fugir ao tema proposto; apresentar estrutura textual que não seja a do tipo dissertativo-argumentativo; entregar folha em branco, com sete linhas ou menos; copiar os textos motivadores; e reproduzir impropérios, desenhos ou palavras de desrespeito aos direitos humanos.

Nascimento 

Uma adolescente de 17 anos que faria o Enem em uma escola em Sidrolândia (MS) deu à luz a um menino no banheiro do local. Ambos passam bem e o MEC informou que a estudante poderá realizar a prova nos dias 4 e 5 de dezembro, quando presidiários inscritos farão o teste.

Com informações Agência Brasil.

registrado em: , ,