Você está aqui: Página Inicial / Política / São Paulo: Com TV, liderança de Russomanno é colocada à prova

Política

Eleições 2012

São Paulo: Com TV, liderança de Russomanno é colocada à prova

por Redação Carta Capital — publicado 20/08/2012 17h29, última modificação 21/08/2012 10h40
Russomanno tem o desafio de manter a sua alta intenção de votos com pouco tempo de TV

Em São Paulo, 41% dos eleitores ainda não sabem em quem votar para prefeito nas eleições deste ano, segundo pesquisa espontânea feita pelo Ibope na última semana. O mesmo levantamento mostra dois candidatos empatados em primeiro lugar, José Serra (PSDB) e Celso Russomanno (PRB), e outros quatro empatados em terceiro (no último Datafolha, Russomano tem 31% e Serra, 27%). O horário eleitoral na televisão e no rádio começa na terça-feira 20 e deve ajudar os indecisos a definir seu voto, deixando o nebuloso cenário eleitoral mais claro.
José Serra enfrenta o desafio de crescer sendo o candidato mais conhecido (99% dos eleitores sabem quem ele é) e rejeitado (37% não votariam nele de jeito nenhum). Segundo o jornal Folha de S. Paulo, o programa tucano deve ser focado na relação do político com a cidade. Nas eleições anteriores, ele havia promovido a sua gestão no Ministério da Saúde (1998-2002), que desta vez deve ficar em segundo plano. Serra deve falar sozinho em seu programa de estreia, sem as presenças do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e do governador Geraldo Alckmin, dois dos principais nomes do PSDB.
Russomanno tem o desafio de manter a sua alta intenção de votos (26%), que poderia levá-lo ao segundo turno, dispondo de pouco mais de dois minutos de televisão em cada programa eleitoral. O candidato do PRB tem menos de um terço do tempo de Serra e Fernando Haddad (PT), que têm mais de sete minutos cada. Tucanos e petistas esperam que Russomanno enfraqueça com pouco tempo de televisão, o que beneficiaria seus candidatos.

Desconhecido da maior parte do eleitorado, o candidato petista contará com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em seu programa de estreia. Nas últimas duas semanas, os dois fizeram gravações externas e em estúdio para a propaganda. Lula foi o artífice da candidatura de Haddad e conseguiu que o PT abrisse mão do nome da senadora Marta Suplicy (SP), que havia manifestado o desejo de concorrer. Preterida, Marta não deve aparecer na propaganda de Haddad. A presidenta Dilma Rousseff (PT) não deve falar no programa, já que há três candidatos de partidos aliados ao governo federal na eleição (além de Haddad, Russomano e Gabriel Chalita).

Com apenas 5% das intenções de voto, Gabriel Chalita (PMDB) conta com o terceiro maior tempo de televisão. Com experiência à frente das câmeras, o peemedebista conta com a televisão para melhorar o seu fraco desempenho nas pesquisas até aqui.

Soninha (PPS) e Paulinho da Força (PDT) terão menos de dois minutos cada. Giannazi (PSOL) terá 57 segundos e Levy Fidélix 54 segundos. Eymael (PSDC), Anaí Caproni (PCO), Miguel Manso (PPL) e Ana Luiza de Figueiredo (PSTU) terão 50 segundos cada.

A propaganda dos candidatos a prefeito e vice-prefeito será veiculada às segundas, quartas e sextas-feiras das 7h às 7h30 e das 12h às 12h30 no rádio; e das 13h às 13h30 e das 20h30 às 21h na televisão.