Você está aqui: Página Inicial / Política / Procurador ainda não decidiu investigar Lula, diz MPF

Política

Mídia

Procurador ainda não decidiu investigar Lula, diz MPF

por Redação Carta Capital — publicado 09/01/2013 10h05, última modificação 09/01/2013 14h36
Em nota, o órgão desmentiu a informação publicada pelo 'Estado de S.Paulo' sobre o suposto envolvimento de Lula no "mensalão"
AgenciaBrasil121212DSC_6795

Roberto Gurgel, com o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, em evento no início de dezembro. Foto: Elza Fiúza/ABr

O Ministério Público Federal negou, nesta quarta-feira 9, a manchete publicada no mesmo dia pelo jornal O Estado de S.Paulosegundo a qual o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, teria decidido investigar a suposta participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no “mensalão”.

O jornal afirma que, com base na acusação feita pelo operador do esquema, o empresário Marcos Valério, o procurador havia anunciado que remeteria o caso à primeira instância, já que o ex-presidente não tem hoje a prerrogativa do foro privilegiado. A mesma notícia foi publicada, com menos alarde, pela Folha de S.Paulo, segundo a qual Gurgel havia afirmado que “provavelmente” enviaria à primeira instância o depoimento de Valério.

O jornal lembrou, no entanto, que caberá a procuradores da primeira instância da Justiça avaliar se abrem uma investigação contra Lula ou se arquivam o caso, caso entendam não haver indícios contra ele.

Após ser condenado por corrupção e formação de quadrilha, Valério prestou depoimento à Procuradoria, ainda durante o julgamento do caso pelo Supremo Tribunal Federal, dizendo que recursos do esquema teriam sido usados para pagar contas pessoais do ex-presidente.

O depoimento foi recebido com cautela pelas autoridades. Gurgel, por exemplo, na época chamou Marcos Valério de "jogador" e lembrou outras ocasiões em que ele havia tentado confundir as apurações. "Com muita frequência Valério faz referência a declarações que ele considera bombásticas etc., e quando nós vamos examinar em profundidade não é bem isso”, afirmou à ocasião.

Em nota emitida nesta quarta-feira 9, o MPF informou que, diferentemente do que foi noticiado pelo Estado de S.Paulo, Gurgel ainda não iniciou a análise do depoimento de Marcos Valério, “pois aguardava o término do julgamento da AP 470 (‘mensalão’)”.

Ainda de acordo com a nota, somente após a análise a Procuradoria poderá informar o que será feito com o material. “Não há qualquer decisão em relação a uma possível investigação do caso”, diz a PGR.

 

Leia a nota de Esclarecimento sobre depoimento de Marcos Valério:

Ao contrário do que foi publicado nesta quarta-feira, 9 de janeiro, pelo jornal O Estado de São Paulo, a Secretaria de Comunicação do Ministério Público Federal informa que o Procurador-Geral da República, Roberto Gurgel, ainda não iniciou a análise do depoimento de Marcos Valério, pois aguardava o término do julgamento da AP 470 (mensalão). Esclarece ainda que somente após a análise poderá informar o que será feito com o material. Portanto, não há qualquer decisão em relação a uma possível investigação do caso.