Você está aqui: Página Inicial / Política / Oposição pede cópia do depoimento de Valério à procuradoria

Política

"Mensalão"

Oposição pede cópia do depoimento de Valério à procuradoria

por Redação Carta Capital — publicado 12/12/2012 14h19, última modificação 12/12/2012 14h19
O operador do "mensalão" envolveu Lula no caso e disse que o Banco do Brasil repassava dinheiro de contratos ao PT
valério

O operador Marcos Valério resolve falar. Foto: Agência Brasil

O PPS protocolou nesta quarta-feira 12 na Procuradoria-Geral da República (PGR) um ofício para que seja disponibilizada cópia do depoimento prestado pelo publicitário Marcos Valério em setembro, conforme noticiado na terça-feira 11 pelo jornal O Estado de S. Paulo.

Segundo o jornal, em depoimento a procuradores da República, Valério disse que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sabia do esquema do "mensalão" e o usou para pagamento de "despesas pessoais". Conforme a reportagem, o publicitário disse ainda que o ex-presidente autorizou, em reunião dentro do Palácio do Planalto, os empréstimos bancários usados para o pagamento de propina a deputados da base aliada.

Para o presidente do PPS, deputado Roberto Freire (SP), e o líder do partido na Câmara, Rubens Bueno (PR), a divulgação do depoimento ajudará a esclarecer as denúncias feitas pelo publicitário. “É uma denúncia que atinge um ex-presidente da República e que merece o conhecimento de toda a sociedade”, disse Freire. Os partidos de oposição pretendem protocolar também uma representação para que a PGR investigue a suposta participação de Lula no esquema do "mensalão".

"Pedágio no Banco do Brasil"

Em outro trecho do depoimento de Valério, divulgado nesta quarta pelo Estadão, o empresário afirma que o Banco do Brasil arrecadava 'pedágio' para o PT. Segundo Valério, 2% de todos os contratos das agências de publicidade com a instituição financeira eram enviados para o caixa do partido. A reportagem não deixa claro como esse envio era feito e nem de onde os valores eram retirados.

No julgamento do "mensalão", os ministros do STF entenderam que 2,9 milhões de reais foram desviados do contrato da agência de publicidade de Valério, a DNA Propaganda, com o Banco do Brasil, para o "mensalão".

A resposta do PT

Em nota oficial distribuída na terça-feira, a direção nacional do PT repudiou as denúncias de Valério contra Lula e o PT e também a forma como foram tratadas pela imprensa. Para o PT, o fato de as declarações terem sido feitas por Valério após este ter sido condenado pelo STF por seu envolvimento no "mensalão" exigem que as denúncias sejam tratadas com cautela. "As supostas afirmações desse senhor ao Ministério Público Federal, vazadas de modo inexplicável por quem teria a responsabilidade legal de resguardá-las, refletem apenas uma tentativa desesperada de tentar diminuir a pena de prisão que Valério recebeu do STF", disse na nota o presidente do PT, Rui Falcão.

Marcos Valério é um dos condenados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no julgamento da Ação Penal 470, o processo do mensalão. Ele foi condenado a mais de 40 anos de prisão.

Com informações da Agência Brasil

registrado em: ,