Você está aqui: Página Inicial / Política / Mauricio Rands critica 'autoritarismo' do PT e deixa o partido

Política

Pernambuco

Mauricio Rands critica 'autoritarismo' do PT e deixa o partido

por Redação Carta Capital — publicado 04/07/2012 17h57, última modificação 06/06/2015 17h29
Ex-líder do governo Lula tomou a decisão depois da intervenção realizada pelo PT nacional no diretório pernambucano do partido
MauricioRands

Mauricio Rands não é mais integrante do PT. Foto: Wilson Dias / ABr

A crise provocada no Recife por conta das disputas internas do PT e deste com o PSB fez sua primeira vítima. Mauricio Rands, que tentou disputar a prefeitura da capital pernambucana, anunciou nesta quarta-feira 4 sua desfiliação do PT, a saída da Secretaria de Governo de Pernambuco e o abandono da vida pública. Rands lamentou o que chamou de autoritarismo do PT e anunciou apoio a Geraldo Júlio (PSB), o candidato do governador Eduardo Campos (PSB) à Prefeitura do Recife.

Rands fez o anúncio em uma carta cheia de críticas ao PT. Ele deixou claro que tomou a decisão depois da intervenção realizada pelo PT nacional no diretório pernambucano. Em junho, Rands e o atual prefeito do Recife, João da Costa, disputaram uma prévia na qual Costa saiu vencedor com 52% dos votos. A votação acabou invalidada depois que o processo se transformou numa batalha judicial, com acusações de fraude de ambas as partes. A Executiva Nacional petista, então, impôs o nome do senador Humberto Costa como candidato no Recife. Para Rands, a decisão, "imposta autoritariamente", fez com que ele se recolhesse "à reflexão". "Ponderei sobre o processo das prévias e sobre o momento político mais geral. Concluí que esgotei por inteiro minha motivação e a razão para continuar lutando por uma renovação no PT", afirmou.

Rands lamentou que intervenções como a que ocorreu no Recife tenham se tornado comuns nas práticas do PT e acusou a sigla de não realizar "o debate democrático" em suas decisões internas. Segundo Rands, ao fazer isso, o PT acaba se distanciando de sua militância. "Na luta pela renovação do partido, no Recife e em outros lugares, infelizmente, têm prevalecido posições da direção nacional, adotadas autoritária e burocraticamente, distantes da realidade dos militantes na base partidária", afirmou.

Ao criticar o PT, Rands fez uma série de elogios ao PSB e a Eduardo Campos. O petista afirmou que a gestão de Campos é "exemplar" e defendeu a candidatura de Geraldo Júlio, segundo o "quadro mais preparado" para comandar o Recife, "implantando na cidade o que o governador Eduardo Campos está fazendo em Pernambuco".

Além de deixar o PT, Rands renunciou a seu cargo na Câmara (estava licenciado), devolvendo o mandato ao PT e também deixou a secretaria de governo, "como gesto concreto de que não se trata de um jogo menor, de barganha por espaços de poder".

Sem Rands, o PT perde um quadro importante. Ele foi eleito deputado federal em 2002 e 2006, foi eleito diversas vezes um dos parlamentares mais influentes do país e liderou o PT durante parte do governo Luiz Inácio Lula da Silva. Em 2011, assumiu a Secretaria de Governo em Pernambuco.

registrado em: ,