Você está aqui: Página Inicial / Política / Marco Maia “prorroga jogo” para tentar votar lei ainda hoje

Política

Lei Geral da Copa

Marco Maia “prorroga jogo” para tentar votar lei ainda hoje

por Redação Carta Capital — publicado 21/03/2012 12h02, última modificação 21/03/2012 12h02
Já o presidente do Senado, José Sarney, diz que projeto será priorizado na Casa

O presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), espera que o plenário da Casa vote ainda nesta quarta-feira 21 o projeto que cria a Lei Geral da Copa. “Temos o dia todo para buscar entendimento entre o governo, as bancadas da situação e da oposição. Não é tarefa fácil”, admitiu, após ter dito que estava agindo “como um juiz” que prorroga por 30 minutos partidas de decisão de campeonatos. Segundo ele, a tramitação da Lei Geral da Copa “já está chegando ao fim do segundo tempo”.

Maia acredita que já exista entendimento sobre a Lei Geral entre as diversas correntes políticas na Câmara. O problema, no entanto, está em um impasse com relação à definição de uma data para a votação do código. A oposição quer condicionar a votação da lei à do código.

O governo federal quer deixar a votação do Código Florestal para depois da realização da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, que ocorre em junho. O adiamento pode empurrar a votação para o segundo semestre quando também serão realizadas eleições municipais.

 
}

Maia participou hoje da abertura do Seminário Internacional sobre a Regulamentação da Comunicação Pública, que vai até sexta-feira 23, na Câmara dos Deputados.

No Senado, o presidente José Sarney (PMDB-AP), disse que o projeto da Lei Geral da Copa terá prioridade de votação na Casa, assim que a matéria passar pela Câmara dos Deputados. Mas não há ainda uma previsão de quando isso ocorrerá. Sarney salientou que “dará grande prioridade” ao tema porque é o "mais importante para o Brasil” no momento.

Sobre as recentes mudanças de líderes nas Casas do Congresso, Sarney disse que se tratam de “uma coisa normal”. Os novos líderes na Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), e no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM), redobram os esforços para negociar acordos para votações importantes, como a Lei Geral da Copa e o Código Florestal. “A presidenta Dilma [Rousseff] escolhe suas lideranças”, destacou.

Para o deputado Mendes Thame (PSDB-SP), líder da minoria na Câmara, é fundamental marcar uma data exata para a votação do Código Florestal e assim acelerar as discussões sobre a Lei da Copa. “Houve um entendimento. Vota-se em primeiro lugar a Lei Geral da Copa, que a população toda está esperando. Depois, na data marcada, vota-se o código”, disse o parlamentar.

*Com informações da Agência Brasil

registrado em: ,