Você está aqui: Página Inicial / Política / Irritado, Gilmar Mendes acusa Lula de divulgar informações falsas

Política

Irritado, Gilmar Mendes acusa Lula de divulgar informações falsas

por Redação Carta Capital — publicado 29/05/2012 19h02, última modificação 30/05/2012 10h19
Ministro do STF imita a Veja e diz que informações 'falsas' a seu respeito têm como objetivo 'melar' o julgamento do mensalão
Gilmar Mendes_29_05

Mendes durante a sessão da 2ª Turma do STF, nesta quinta-feira. Foto: Carlos Humberto / STF

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), acusou nesta terça-feira 29 o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) de centralizar a divulgação de informações falsas contra ele.

Nesta terça, Mendes elevou o tom usado em entrevista à TV Globo na noite de segunda-feira. Nela, Mendes havia sido bem menos incisivo e disse ter “entendido” que Lula queria pressioná-lo a tentar adiar o julgamento do mensalão. A história veio à tona na edição da revista Veja deste final de semana, segundo a qual Mendes sofreu pressão de Lula a respeito do julgamento do mensalão. Os outros dois participantes da reunião desmentem o teor da denúncia: o próprio Lula e o ex-ministro e ex-presidente do STF Nelson Jobim.

Em entrevista coletiva nesta terça-feira 28, Mendes afirmou que é vítima de uma “armação”. Para ele, quem divulgou informações a seu respeito estaria interessado em “melar” o julgamento do mensalão. “Ele (Lula) recebeu esse tipo de informação. Gente que o subsidiou com esse tipo de informação e ele acreditou nela. As notícias que me chegaram era que ele era a central de divulgação disso. O próprio presidente”, afirmou Gilmar, segundo o jornal O Globo.

Mendes estava irritado e com o tom de voz alterado. Segundo a Folha de S. Paulo, ele estaria irritado com as pessoas, classificadas por ele de "criminosos e gângsters", que estavam "vazando" informações sobre um encontro que teve com o senador Demóstenes Torres (sem partido-GO), em Berlim, e que a viagem teria acontecido após Cachoeira disponibilizar um avião ao senador e ao ministro. "Não viajei em jatinho coisa nenhuma. Vamos parar com fofoca. A gente está lidando com gângsters. Vamos deixar claro: estamos lidando com bandidos que ficam plantando essas informações", disse o ministro, sem identificar quem seriam os supostos "criminosos". Mendes apresentou notas e cópias de suas passagens aéreas que teriam sido emitidas na TAM pelo Supremo Tribunal Federal.