Você está aqui: Página Inicial / Política / Comissão da Verdade de SP ouve vítimas de tortura na infância

Política

Ditadura

Comissão da Verdade de SP ouve vítimas de tortura na infância

por Redação — publicado 06/05/2013 11h43, última modificação 06/05/2013 17h11
Mais de 50 pessoas que passaram pelo dos quando eram bebês ou crianças darão seus depoimentos entre 6 e 10 de maio, com transmissão ao vivo pela tv Carta

Para ouvir os testemunhos sobre o que crianças e seus pais sofreram a Comissão da Verdade de São Paulo “Rubens Paiva” em parceria com o Instituto do Legislativo Paulista realiza o seminário “Verdade e infância roubada”. A abertura é nessa segunda-feira, 6 de maio. Até sexta-feira, 10 de maio, a comissão irá colher cerca de 50 depoimentos de filhos de ex-presos políticos, mortos, desaparecidos e sobreviventes da ditadura brasileira (1964-1985). São crianças que foram sequestradas e escondidas nos centros clandestinos de repressão política.

Afastadas de seus pais e suas famílias, enquadradas como “elementos” subversivos pelos órgãos de repressão e, em alguns casos, banidas do país. Outras tantas foram obrigadas a morar com parentes distantes, a viver com nomes e sobrenomes falsos, impedidas de conviver, crescer e conhecer os nomes de seus pais. Alguns dos depoimentos serão de pessoas que, com poucos anos de vida, fora levadas aos cárceres da ditadura, confrontadas com seus pais nus, machucados, recém-saídos de sessões de tortura. Há casos de bebês torturados antes de nascer, filhos de guerrilheiros hoje desaparecidos e outros que nasceram em prisões e cativeiros.

Sofreram torturas físicas e psicológicas, como Carlos Alexandre Azevedo, que com 1 ano e 8 meses apanhou e foi levado ao Dops. Anos depois, em fevereiro deste ano, aos 39 anos, não aguentou mais resistir e suicidou-se.

Clique na tabela ao lado paraver a agenda de depoimentos e acompanhe ao vivo a semana inteira da comissão estadual pela TV Assembleia ou pela tv Carta.