Você está aqui: Página Inicial / Política / CNI/Ibope: governo Temer é pior que Dilma para 31%

Política

Pesquisa

CNI/Ibope: governo Temer é pior que Dilma para 31%

por Redação — publicado 04/10/2016 11h22, última modificação 04/10/2016 11h37
A porcentagem cresceu seis pontos percentuais entre junho e setembro; no total, 69% avaliam o novo governo como igual ou pior que o anterior
Beto Barata/PR
Temer

O presidente Michel Temer, em visita à Argentina na segunda-feira 3

Cresceu entre junho e setembro a quantidade de pessoas que avalia o governo de Michel Temer (PMDB) como pior que o de Dilma Rousseff (PT). De acordo com a nova rodada da pesquisa Ibope contratada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e divulgada nesta terça-feira 4, agora são 31% dos brasileiros que têm essa percepção, ante 25% registrados em junho.

Em junho, a pesquisa CNI / Ibope mostrou que 23% consideravam o governo Temer melhor que o de Dilma e 44% avaliavam ambos como iguais. Agora são 24% a considerar Temer melhor (oscilação dentro da margem de erro) e 38% a classificar os dois como iguais.

A variação de seis pontos percentuais (25% para 31%) na quantidade de pessoas que veem Temer como pior que Dilma se deu fora da margem de erro do levantamento, que é de dois pontos percentuais para cima ou para baixo. 

Nas avaliações por temas, como educação, saúde e combate à pobreza, as percepções a respeito da gestão de Temer ficaram praticamente inalteradas de junho a setembro. A notícia mais lembrada pelos entrevistados neste período, entretanto, é negativa para o governo: a reforma da Previdência, que deve introduzir idade mínima de 65 anos para as aposentadorias no Brasil.

Segundo a CNI / Ibope, 10% dos eleitores disseram ser este o tema que lembram ao ser perguntados sobre notícias ligadas ao governo atual.

Ciente da impopularidade das medidas que pretende colocar em prática, Temer recrutou o Movimento Brasil Livre para tentar melhorar a comunicação de seu governo. O MBL foi um dos grupos que liderou os protestos pela derrubada de Dilma Rousseff. 

Para o futuro, 24% dos brasileiros avaliam como boa ou ótima a perspectiva do governo Temer, mesmo índice verificado em junho. Os que classificam a perspectiva como regular oscilaram para baixo (de 32% para 30%) e os que avaliam o futuro como ruim ou péssimo foram de 35% para 38%.

Aprovação e confiança seguem baixas

Nos índices gerais sobre o governo, o cenário segue praticamente inalterado. Em setembro, 14% disseram considerar a administração Temer boa ou ótima, ante 13% verificados em junho. Para 34%, o governo é regular (eram 36% em junho) e 39% avaliam Temer como ruim ou péssimo. 

Os índices de confiança e desconfiança em Temer também variaram dentro da margem de erro. Os que confiam no peemedebista foram de 27% para 26% e os que não confiam oscilaram de 66% para 68%. 

Em março, última pesquisa CNI / Ibope com Dilma no poder, a petista tinha apenas 10% de avaliação boa/ótima e somente 18% confiam nela.