Você está aqui: Página Inicial / Política / Brizola Neto é o novo ministro do Trabalho

Política

Brasil

Brizola Neto é o novo ministro do Trabalho

por Redação Carta Capital — publicado 30/04/2012 15h31, última modificação 30/04/2012 15h47
De acordo com políticos do PDT, o nome é "escolha pessoal" da presidenta Dilma Rousseff
Brizola_Neto

O deputado federal Brizola Neto vai assumir o Ministério do Trabalho

O Palácio do Planalto confirmou nesta segunda-feira 30 a nomeação de Carlos Daudt Brizola, o Brizola Neto, como novo ministro do Trabalho. Ele chega à Esplanada para substituir Paulo Roberto Santos Pinto, que estava ocupando o cargo de forma interina há cinco meses, desde a saída de Carlos Lupi, em meio a uma onda de denúncias contra sua gestão.

A escolha, aparentemente, não teve o aval do PDT, o partido de Brizola Neto, que comanda a pasta desde o governo Luiz Inácio Lula da Silva. Lideranças do PDT, como o líder na Câmara André Figueiredo (CE) e o secretário-geral Manoel Dias, afirmaram que seu nome foi "escolha pessoal" da presidenta Dilma Rousseff. Ao confirmar o nome de Brizola Neto, Dilma disse, em nota, ter confiança de que ele “prestará grande contribuição ao país”. Segundo informações do Palácio do Planalto, a posse do novo ministro deverá ocorrer na quinta-feira (3), às 11h. Segundo o texto, a presidenta agradece a colaboração do ex-ministro Carlos Lupi e do ministro interino Paulo Roberto Pinto “na consolidação das conquistas obtidas pelos trabalhadores brasileiros nos últimos anos”.
A decisão foi tomada depois de uma reunião durante a manhã entre o presidente do PDT, Carlos Lupi, a presidenta da República, Dilma Rousseff, e o secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho.

Aos 33 anos, Brizola Neto é o mais jovem ministro do governo. Neto do ex-governador Leonel Brizola (morto em 2004), ele nasceu em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, e está no seu segundo mandato como deputado federal pelo Rio de Janeiro. “O nome que carrego é uma bandeira. É um símbolo para milhões de pessoas que sonham com um Brasil diferente, com um Brasil com justiça, com trabalho, com progresso para nosso povo. Defender este país é ser nacionalista; defender este povo é ser trabalhista. E lutar por isso a vida inteira, sem jamais esmorecer, é ser Brizola”, define-se o parlamentar em uma autobiografia publicada em seu blog na internet.

Mesmo sem conseguir uma vaga na Câmara nas últimas eleições parlamentares, em 2010, Brizola Neto voltou ao Congresso como suplente do deputado Sergio Zveiter (PSD). Ligado ao governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), Zveiter deixou a Câmara para assumir a Secretaria de Trabalho e Renda do Rio, cargo que anteriormente era ocupado por Brizola Neto.

Em 2009, Brizola Neto foi líder do PDT na Câmara. Na sua trajetória política, exerceu ainda o cargo de vereador pelo município do Rio de Janeiro, em 2004. No seu blog, ele diz que começou sua vida política, aos 16 anos, ao lado do avô.

Brizola Neto dedica boa parte dos textos publicados na internet para defender as investigações de irregularidades envolvendo o empresário de jogos ilegais Carlos Augusto Cachoeira, o Carlinhos Cachoeira. Além disso, ele apoia a candidatura do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, à reeleição e critica parte da imprensa, a qual considera tendenciosa.

*Com informações da Agência Brasil