Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Twitter bloqueia conta de grupo neonazista alemão

Internacional

Alemanha

Twitter bloqueia conta de grupo neonazista alemão

por Redação Carta Capital — publicado 18/10/2012 19h36, última modificação 06/06/2015 18h26
Microblog suspende pela primeira vez um usuário, que espalhava mensagens de ódio e fazia propaganda extremista na rede
twitter

A empresa explicou que antes, se fosse necessário eliminar mensagens, só era possível fazê-lo em nível mundial. Foto: Kimihiro Hoshino/AFP

Da Deutsche Welle

O Twitter bloqueou nesta quinta-feira 18 a conta do grupo neonazista Besseres Hannover (Hannover Melhor), atendendo a um pedido polícia. Apesar de já ter divulgado em janeiro deste ano que poderia suspender a conta de usuários, caso fosse necessário, esta foi a primeira vez que o microblog fez uso dessa possibilidade.

Em setembro, a Secretaria do Interior do estado da Baixa Saxônia proibira a existência do grupo neonazista, acusado de cometer crimes de ódio e também suspeito de formar uma organização criminosa. O bloqueio afeta apenas a conta do grupo na Alemanha; em outros países as mensagens no microblog permanecem visíveis – o que demonstra que a empresa norte-americana não atendeu na íntegra o pedido da polícia de Hannover e manteve a existência do perfil "àhannoverticker".

   

De acordo com Alex Macgillivray, administrador do Twitter, esta foi a primeira vez que a conta de um grupo de extrema direita foi suspensa. Outros sites como Google ou Facebook já filtram há muito tempo conteúdo que contenha ideias extremistas. Apenas há pouco tempo o Twitter também mudou seu regulamento para tornar a medida possível.

"Nunca queremos restringir conteúdo. É bom ter ferramentas para fazer isso de forma pontual e transparente", postou Macgillivray, juntamente com um link para o pedido policial.

Cerca de 40 pessoas fazem parte do Besseres Hannover, que em 2008 começou a praticar ações xenófobas. O grupo é acusado de distribuir revistas de extrema direita em escolas e promover perseguições pela internet.