Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Rebeldes do Cáucaso do Norte negam envolvimento em atentado de Boston

Internacional

Rússia

Rebeldes do Cáucaso do Norte negam envolvimento em atentado de Boston

por AFP — publicado 21/04/2013 12h39, última modificação 21/04/2013 12h39
A imprensa americana afirma que o FBI está investigando possíveis vínculos entre os dois suspeitos e o movimento do Emirado do Cáucaso, liderado pelo 'senhor da guerra' Doku Umarov
photo_1366550409851-1-0

Vídeo do rebelde checheno Doku Umarov (centro) divulgado na internet em fevereiro de 2012. Foto: AFP

Os rebeldes do Cáucaso do Norte negaram neste domingo qualquer envolvimento no atentado de Boston da segunda-feira passada, pelo qual foram acusados dois irmãos de origem chechena residentes nos Estados Unidos.

"O comando de Vilayat Dagestan Muyahidin declara que os combatentes do Cáucaso não executam nenhuma ação militar contra os Estados Unidos. Só combatemos a Rússia", afirma um comunicado oficial publicado no site Kavkacenter.com.

"Apenas combatemos a Rússia, que não apenas é responsável pela ocupação do Cáucaso, mas também por crimes monstruosos contra os muçulmanos", afirma o grupo rebelde.

A imprensa americana afirma que o FBI está investigando os possíveis vínculos entre os dois suspeitos - os irmãos Dzhokhar e Tamerlan Tsarnaev - e o movimento do Emirado do Cáucaso, liderado pelo 'senhor da guerra' Doku Umarov.

De acordo com a imprensa, as autoridades americanas estão interessadas em particular no Vilayat Dagestan, um braço do grupo de Umarov.

O Daguestão é uma república vizinha da Chechênia com uma grande comunidade da minoria chechena.

Também é uma das regiões mais violentas da Rússia desde o fim, há quase uma década, da última das duas guerras da Chechênia desde o colapso da União Soviética.

As autoridades russas também informaram que estão investigando eventuais vínculos dos dois irmãos com os rebeldes, mas até o momento não encontraram nenhuma prova.

"No momento, não temos nenhuma informação confiável sobre o envolvimento dos irmãos Tsarnaev com o movimento do Emirado do Cáucaso", afirmou uma fonte dos serviços de segurança, que pediu anonimato, à agência Interfax.

registrado em: , ,