Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Lula recebe Prêmio Internacional da Catalunha pelo combate à pobreza

Internacional

Espanha

Lula recebe Prêmio Internacional da Catalunha pelo combate à pobreza

por Agência Brasil publicado 03/04/2012 09h20, última modificação 06/06/2015 18h22
O ex-presidente venceu, por unanimidade, 177 personalidades de 57 países
int_lulanoinstituto

O ex-presidente venceu, por unanimidade, 177 personalidades de 57 países Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Por Bruno Bocchini, Repórter da Agência Brasil

São Paulo – O governo autônomo da Catalunha, na Espanha, anunciou na segunda-feira 2 que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi o vencedor do 24º Prêmio Internacional Catalunha 2012. A informação foi divulgada pelo Instituto Lula.

O ex-presidente venceu por unanimidade a eleição, na qual concorriam 177 personalidades de 57 países. Durante o anúncio do prêmio, o presidente do governo catalão, Artur Mas, disse que a escolha de Lula foi motivada pela luta que o ex-presidente travou em seus dois mandatos pelo crescimento econômico do Brasil e para "erradicar a pobreza e a miséria" do país.

Na cerimônia, foi lida uma carta em que Lula manifesta "alegria e orgulho" pelo prêmio. "[O prêmio é] "uma conquista que reforça a minha convicção na importância de lutar por uma sociedade mais justa e democrática, sem fome e sem miséria", diz o ex-presidente na carta.

De acordo com o Instituto Lula, o júri, presidido pelo escritor e filósofo Xavier Rubert de Ventós, também elogiou a política adotada pelo ex-presidente, “a serviço de um crescimento econômico justo, que colocou seu país à frente da globalização”.

O Premio Internacional Catalunya é concedido anualmente desde 1989 a personalidades internacionais dos meios político, econômico e cultural. Entre os homenageados anteriores incluem-se os ex-presidentes ou primeiros-ministros Jimmy Carter, dos Estados Unidos, em 2010; Vaclav Havel, da República Tcheca, e Richard von Weizsacker, da Alemanha, em 1995; Jacques Delors, da França, em 1998; os intelectuais Edgar Morin, da França, em 1994, Karl Popper, da Áustria e naturalizado britânico, em 1989, e Claude Lévi-Strauss, da França, em 2005.

Edição: Nádia Franco

registrado em: ,