Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Irã não permitirá que inimigo avance na Síria, afirma general

Internacional

Primavera Árabe

Irã não permitirá que inimigo avance na Síria, afirma general

por AFP — publicado 31/07/2012 10h30, última modificação 06/06/2015 18h19
O general Masoud Jazayeri disse que o Irã "não permitirá que o inimigo avance" na Síria se dirigindo aos EUA e países ocidentais
Assad

Os rebeldes sírios multiplicaram nesta terça-feira os ataques contra as posições do regime em Aleppo. Foto: ©AFP / Bulent Kilic

TEERÃ (AFP) - O Irã "não permitirá que o inimigo avance" na Síria, mas por enquanto não vê a necessidade de intervir, declarou o general Masoud Jazayeri, vice-chefe do Estado-Maior das Forças Armadas iranianas, citado nesta terça-feira 31 pelo jornal Shargh. "Por enquanto não é necessário que os amigos da Síria intervenham e, segundo nossa avaliação, não será necessário fazê-lo", declarou o general Masoud Jazayeri.

Na segunda-feira 30 em Damasco, o jornal Al-Watan, ligado ao regime, afirmou que o Irã advertiu a Turquia contra qualquer ataque em território sírio, afirmando que Teerã tomaria "duras" represálias para ajudar seu aliado. Segundo o general, "todos os componentes da resistência (a Israel, ou seja, o movimento libanês Hezbollah e os movimentos islamitas palestinos) são amigos da Síria, além das potências (Rússia e China) que têm peso internacional".

"Decidiremos, segundo as circunstâncias, a maneira pela qual devemos ajudar nossos amigos e a resistência na região (contra Israel). Não permitiremos que o inimigo avance", acrescentou Jazayeri.

Esta advertência é dirigida aos Estados Unidos e aos países ocidentais, mas também à Arábia Suadita, ao Qatar e à Turquia, acusados por Teerã, o principal aliado da Síria na região, de apoiar financeira e militarmente os rebeldes sírios que buscam a queda do regime do presidente Bashar al-Assad.

O chefe da diplomacia iraniana, Ali Akbar Salehi, convocou na noite de segunda-feira 30 seu homólogo sueco, Carl Bildt, afirmando que a situação na Síria "se encaminhava para (um retorno) à calma", segundo a agência Irna. "Os países amigos da Síria e aqueles que querem a paz e a estabilidade na região devem preparar o terreno para um diálogo entre o poder e a oposição", disse Salehi.

Os rebeldes sírios multiplicaram nesta terça-feira os ataques contra as posições do regime em Aleppo, a cidade estratégica do norte da Síria, onde as tropas regulares enfrentam uma feroz resistência.

Leia mais em AFP Movel.

registrado em: