Internacional

América Latina

Governo da Bolívia não expulsará Coca-Cola do país

por Redação Carta Capital — publicado 01/08/2012 14h16, última modificação 01/08/2012 16h47
Ministro das Relações Exteriores do país diz que saída da gigante norte-americana faz parte das comemorações do calendário maia e do "fim do capitalismo"

Ao contrário do que foi divulgado pela Agência Venezuelana de Notícias (AVN), o governo da Bolívia não expulsará a Coca-Cola do país, informou o G1. O governo boliviano e a Agência Boliviana de Informação (ABI) declararam que o ministro das Relações Exteriores foi mal interpretado em sua frase.

O ministro em questão, David Choquehuanca, declarou em um evento em 13 de julho: "O 21 de dezembro tem que ser o fim da Coca Cola e o começo do mocochinche (refresco de pêssego). Será o fim do capitalismo e o começo da cultura da vida." Segundo o governo, foi apenas uma metáfora.

A notícia de que Evo Morales obrigaria a Coca-Cola a deixar o País foi difundida nesta quarta-feira 1. De acordo com as fontes oficiais do País, nunca houve pedido do governo para o fim da fabricação do produto.

registrado em: ,