Você está aqui: Página Inicial / Economia / Leilão do trem-bala Campinas-Rio de Janeiro é marcado para maio de 2013

Economia

Infraestrutura

Leilão do trem-bala Campinas-Rio de Janeiro é marcado para maio de 2013

por Redação Carta Capital — publicado 23/08/2012 13h15, última modificação 06/06/2015 18h29
Audiências públicas serão realizadas em setembro
trem_2

O mapa do traçado do trem-bala Campinas-Rio de Janeiro. Imagem: Reprodução

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) anunciou nesta quinta-feira 23 que o leilão do Trem de Alta Velocidade (TAV) ligando Campinas, São Paulo e o Rio de Janeiro será realizado em 29 de maio de 2013. Os consórcios interessados em construir a infraestrutura para o trem-bala e também em operar a primeira linha deste tipo de transporte no Brasil poderão apresentar suas propostas até 30 de abril. O investimento no projeto é avaliado na casa dos 33 bilhões de reais.

A ANTT anunciou também a realização de sete audiências públicas em que pessoas físicas e empresas poderão fazer sugestões para a elaboração do edital e do projeto. As audiências ocorrem entre 11 e 21 de setembro, em Brasília, São José dos Campos, Aparecida, Rio de Janeiro, Barra Mansa, Campinas e São Paulo (confira os detalhes no site da ANTT). As sugestões serão analisadas pelo governo e podem ser incluídas no edital.

Em maio, serão realizados dois leilões. O primeiro é para o fornecimento e montagem da superestrutura ferroviária, do material rodante e dos sistemas necessários à futura operação do trem bala. O segundo é para a operação, manutenção e conservação do TAV Rio de Janeiro-Campinas, nome oficial do projeto. No total, serão construídos 510,8 quilômetros de percurso e a tarifa-teto a ser ofertada não poderá ultrapassar 0,49 centavos por quilômetro, na classe econômica.

O trem-bala será administrado por uma Sociedade de Propósito Específico, em que a concessionária vencedora do leilão terá como sócia minoritária a estatal Empresa de Planejamento e Logística (EPL), criada na semana passada pela presidenta Dilma Rousseff. Apesar de minoritária, a EPL terá o poder de vetar decisões em temas sensíveis.

A EPL será responsável pelo planejamento, pelo desenvolvimento, pela prestação de serviços e pelas pesquisas na área de logística e também pela “integração das diversas modalidades de transportes". A primeira atribuição da EPL será cuidar do trem-bala. O presidente da EPL será Bernardo Figueiredo. De acordo com o plano de concessões de estradas e ferrovias, lançado na semana passada pelo governo, serão investidos R$ 133 bilhões em logística nos próximos 25 anos.